Outros Esportes

Conheça a história de Dimas, preparador de goleiros do Beach Soccer

Dimas se firma como preparador de goleiros do Beach Soccer do Vasco. Ele que também faz parte do quadro técnico da equipe de futsal, chegou para somar ainda mais ao clube.

Filho de professores de Educação Física, Dimas escolheu seguir o mesmo caminho de seus pais. Desde seus 6 anos de idade já acompanhava o trabalho de Carlos Germano e Dida, que o inspiravam na época. Segundo ele, foi onde surgiu a oportunidade de explorar mais a posição de goleiro. 

- Comecei a jogar futsal nas categorias de base do Tio Sam de Niterói, como goleiro. Sou filho de professores de educação física e quando era pequeno, aos 6 anos, ficava me jogando no chão e imitando o Dida e o Carlos Germano (que pra mim, eram os melhores goleiros brasileiros na época, 1997/98). Um companheiro de trabalho do meu pai, viu, e ele trabalhava no Tio Sam (que na época era uma referência no futsal carioca/nacional) e me levou pra treinar lá no fraldinha.  

Meu primeiro preparador de goleiros foi o Prof. Fred Antunes (que hoje é o preparador de goleiros da seleção brasileira de futsal e era o preparador de goleiros do Vasco, naquele timaço que o Vasco tinha no futsal, em meados dos anos 2000). Ele me ensinou os primeiros passos e foi a primeira pessoa a me transmitir essa paixão pela posição. - disse Dimas. 

Foto: PorthixDimas
Dimas - preparador de goleiros

Após passar um período jogando pelas categorias de base do Tio Sam, Dimas teve passagens por diversos clubes como Ascaer, Meninos da Paz, Madureira, Fluminense, Grajaú Country, Botafogo e Vasco. 

- Depois de lá (Tio Sam), fui pro Vasco (ainda no fraldinha), fiquei uns meses e depois fui rodando por vários clubes no futsal do Rio. Ascaer, Meninos da Paz, Madureira, Fluminense, Grajaú Country, Botafogo...foram os mais importantes. Joguei dos 6/7 anos até os 20 anos, em clubes do Rio. Em 2012, recebi uma proposta pra jogar fora do Brasil. Joguei no Club America del Sul e no Racing, ambos da Argentina (já na categoria adulta). Joguei numa equipe de SP também em 2013. Quando voltei pro Rio, fiz a faculdade de Educação Física na Celso Lisboa, que tem um excelente projeto de bolsas para atletas, coordenado pelo Prof. Marcelo Crespo.

Encerrando sua carreira como goleiro, Dimas investiu em sua formação para seguir como preparador de goleiros. Fez parte do Curso da CBF Academy e passou por clubes como Fluminense, Tigres de Xerém, Racing (ARG) e por fim, chegou ao Vasco da Gama. 

- De 2014 a 2016, estagiei no futsal do Fluminense, comecei sendo estagiário da Preparação Física no sub-17, mas logo depois através do convite do Prof. Jorge Macedo e do Coordenador Dilso Ramada, fui para o sub-6 e sub-13 na preparação específica de goleiros e aí foi amor à primeira vista. 

Em 2016, após me formar, trabalhei no futebol de campo na categoria sub-15, do Tigres de Xerém, fiquei alguns meses. Logo depois, fiz parte da primeira turma do Curso da CBF Academy para Treinadores de Goleiros em Categorias de Base. 

Em 2017, recebi minha licença, após concluir o curso. Entre 2017 e 2019, fui para o Racing da Argentina, para fazer a pré temporada dos goleiros e goleiras. Sendo no mesmo ano, Campeão da Supercopa Argentina na categoria feminina adulto (futsal). Em 2018, trabalhei na seleção carioca de atléticas universitárias, na categoria masculino adulto (SeleLuca) para jogar o campeonato carioca de futsal.

No segundo semestre de 2020, recebi o convite para trabalhar numa parceria, na qual representaríamos o Vasco da Gama em 3 categorias (Sub 20, Masculino Adulto e Feminino adulto) no futsal. 

Foto: Arquivo PessoalDimas e goleiros
Dimas e goleiros
Foto: Arquivo PessoalDimas e goleiras
Dimas e goleiras

Como Dimas saiu do Futsal e parou nas areias do Gigante da Colina?

Dimas conta que chegou a equipe de Beach Soccer através da goleira Natalie Wippel, que indicou o preparador para a direção pois a equipe não contava com um preparador de goleiros.

- A ideia surgiu através dela (Natalie Wippel), porque nós trabalhamos no futsal juntos, ela gostou de trabalhar comigo e eu com ela. Como a vaga estava em aberto no Beach Soccer, ela sugeriu essa possibilidade aos diretores e eles viabilizaram. 

Diferença entre os fundamentos do Futsal e Beach Soccer

- É a primeira vez que estou numa equipe de Beach Soccer. Na maior parte dos fundamentos técnicos são praticamente iguais ao futebol e ao futsal. Porém a areia tem suas especificidades, o maior exemplo é a variação da bola quando bate no "montinho''. Isso não há no futsal e mais outros aspectos também. - disse Dimas.

Tempo de treino 

- O treino a gente reduz um pouco a carga/número de repetições, pois a areia é um solo mais pesado no qual desgasta mais a goleira. O próprio tempo de descanso entre uma atividade e outra é um pouco maior do que no futsal. Por exemplo, no futsal, você consegue dar 1.10, 1.20 até de atividades (contando com descanso) e no Beach Soccer não costumo passar de mais de 50 minutos por sessão de treino específico. A areia exige uma maior estabilidade, força nos membros inferiores e impulsão da goleira. - completou o preparador.

Dimas também contou como se prepara para treinar os atletas:

- Já quanto a mim, é uma diferença muito grande na batida, pois finalizamos descalços. No Futsal você dá o treino de tênis. Tem a questão de colocar a bola no montinho, dependendo da finalização que quero fazer, que é algo que tô pegando (os macetes da praia). Mas preciso de muito mais estabilidade corporal, após um treino da praia, posso te falar que minha perna fica muito mais pesada do que no Futsal. Por alto, finalizo mais de 110 bolas por sessão de treino (aproximadamente)... isso pra um treino com 2 goleiros.

Aspectos táticos do Beach Soccer

- Quanto aos aspectos táticos, o treinador Ricard, junto da sua comissão, vem sempre trocando ideias comigo e me transmitindo o conhecimento tático do futebol de areia. Converso muito com a minha goleira Natalie Wippel ("Nat") e com o Nathan Neri (goleiro do sub-20 que treina conosco) sobre as diferenças e as especificidades da praia. Além de outros profissionais que já tiveram passagem na areia (Prof. Fred Antunes ex-prep. de goleiros da Seleção Brasileira de Beach Soccer e atual da de Futsal e o Prof. Fabrício Santos prep. de goleiros da Seleção Masculina de Beach e treinador da Seleção Feminina). 

Foto: Arquivo PessoalDimas com Natalie e Nathan Neri
Dimas com Natalie e Nathan Neri

Mas costumo levar muitas atividades que faço no futsal/futebol pra areia. As vezes a gente adapta uma coisinha ou outra. Vale ressaltar também a diferença das medidas da área do goleiro, baliza e da bola, ambas no beach são maiores, comparadas ao futsal. 90% dos fundamentos técnicos são praticamente iguais comparados ao futsal e tem os outros 10% que sofrem algum tipo de adaptação. - ressalta o preparador. 

Além de trabalhar com o Beach Soccer, Dimas também é coordenador de um projeto social para crianças e adolescentes, também é preparador de goleiros do Futsal (sub-20) e trabalha com esporte universitário. 

Por conta da pandemia, há indefinição sobre o início dos campeonatos de Beach Soccer.

Fonte: SUPERVASCO/ Yana Luiza
  • Quarta-feira, 26/01/2022 às 19h00
    Vasco Vasco 4
    Volta Redonda Volta Redonda 2
    Taça Guanabara Raulino de Oliveira
  • Sábado, 29/01/2022 às 21h00
    Vasco Vasco
    Boavista Boavista
    Taça Guanabara São Januário
  • Quarta-feira, 02/02/2022 às 21h35
    Vasco Vasco
    Nova Iguaçu Nova Iguaçu
    Taça Guanabara São Januário
  • Domingo, 06/02/2022 às 15h30
    Vasco Vasco
    Madureira Madureira
    Taça Guanabara Conselheiro Galvão
  • (09/02 - Qua) ou (10/02 - Qui)
    Vasco Vasco
    Portuguesa Portuguesa
    Taça Guanabara São Januário
  • (12/02 - Sáb) ou (13/02 - Dom)
    Vasco Vasco
    Botafogo Botafogo
    Taça Guanabara Maracanã