Conheça o momento difícil que vive Kaio Magno, irmão de Talles

29/08/2019 às 08h13 - CLUBE

Kaio Magno foi conhecido durante muito tempo no Vasco pelo apelido, Somália, pela semelhança com o atacante que defendeu o Fluminense e mais uma penca de outros clubes pelo Brasil. Mas o irmão mais novo, Talles Magno, floresceu como prodígio e usar o nome que consta na identidade acabou sendo uma consequência para o atacante de 20 anos.

Na quarta-feira, mais uma vez ele teve a chance de treinar entre os profissionais. Integrante do elenco sub-20, aparece regularmente para completar a atividade dos reservas do técnico Vanderlei Luxemburgo. Ao mesmo tempo, em outro campo, Talles trabalha entre os titulares.

Enquanto que o caçula da família colhe os frutos da fama repentina, com o rápido sucesso na equipe de cima, Kaio Magno conhece o lado menos glamoroso de quem tenta sobreviver à passagem das categorias de base para o profissional.

Esse ano é decisivo para ele no Vasco e seu futuro é incerto. O contrato com o clube da Colina vai somente até dezembro e o garoto está no último ano dos juniores. Em 2020, terá de ser integrado definitivamente ao elenco profissional. No Vasco ou em outro clube.

As chances de continuar em São Januário, a julgar pelo desempenho dele nas categorias de base, são remotas. Sem ser aproveitado, foi emprestado para a base do Ceará ano passado. Esteve por lá até este ano e disputou a Copa São Paulo de Juniores pela equipe de Fortaleza enquanto que Talles Magno era o 12º jogador do time carioca, vice-campeão da Copinha, ainda aos 16.

Kaio Magno voltou ao Vasco na sequência e ainda busca seu espaço na equipe sub-20. No Campeonato Brasileiro da categoria, disputou apenas uma partida, saindo do banco de reservas. Depois de 11 partidas disputadas, o Cruz-maltino é o sexto colocado, com 23 pontos.

Seu estilo de jogo é um pouco diferente do do irmão. Kaio faz o tipo centroavante mais clássico enquanto que Talles sai mais da área, busca o drible e geralmente o alcança. Para família e irmãos, o sonho é ver os dois atuarem juntos no ataque vascaíno. Por enquanto, um cenário difícil de se visualizar.

 

Fonte: Globo Online