Cruzada Vascaína emite nota sobre a reunião do Conselho Deliberativo

26/10/2019 às 16h25 - POLÍTICA

Nota Oficial – Nunca foi pelos sócios

Durante todo esse processo polêmico de novas associações, fomos cobrados incessantemente por diversos sócios e grupos políticos por um posicionamento coerente com os seus discursos históricos de democracia e abertura do quadro social.

Antes de qualquer posicionamento público, era primordial entender os critérios que justificavam as posições do Presidente Alexandre Campello, conhecer os números, quantos sócios, quantos proponentes, etc.

Pela situação delicada, nos posicionamos internamente como um time. Seria muito mais fácil a postura populista de discordar publicamente do presidente e “tirar o seu da reta”!

Consideramos que a convocação do Conselho Deliberativo, a reunião proposta pelo Presidente Alexandre Campello foi uma vitória de todos os grupos que consideravam injusta a indefinição dos novos sócios. No Conselho Deliberativo estava se criando a oportunidade do debate e a correção de injustiças inclusive com as pessoas que tiveram a sua proposição recusada.

O Documento proposto pelos 66 conselheiros chega a citar que: “... os indeferimentos indiscriminados fazem tabula rasa da nossa tradição de lutas contra as injustiças. É a antítese da nossa resposta histórica!”.

E curiosamente não foi dada resposta alguma aos sócios. Contrariando aqueles que acham que essa administração tem algo a esconder, foi proposta uma comissão efetivamente paritária entre os grupos que envolvia a Sempre Vasco, Identidade Vasco, Avante Gigante (Todos opositores) Desenvolve Vasco e um Benemérito. 3 opositores x 1 situacionista x 1 Benemérito. A comissão efetivamente formada não deu a paridade necessária inclusive para grupos signatários do requerimento. Mais uma vez se colocaram numa posição onde não podem ser efetivos.

Os grupos signatários desta nota foram para a reunião convictos de que todos os sócios deveriam ser aprovados e não víamos problemas na auditoria independente da lista de sócios por uma empresa especializada.

Ao procrastinar por 30 dias uma decisão que poderiam ter tomado no próprio Conselho Deliberativo fica evidente o irrefutável o objetivo da reunião não foi corrigir eventuais injustiças, o objetivo foi criar o subterfúgio político para mais uma tentativa de afastamento do Presidente Alexandre Campello.

Na próxima quinta-feira teremos mais uma reunião do Conselho Deliberativo para apreciação das contas de 2018. Apesar do parecer favorável da auditoria externa, politicamente pode se tergiversar a vontade para se reprovar uma conta e criar o ambiente propício para mais uma tentativa de afastamento.

Os grupos que fazem parte desta gestão, entraram com o firme propósito de praticar a cultura da responsabilidade. É preciso assumir os problemas do clube sem justificativas de heranças históricas e outras terceirizações de culpa. Assumimos os erros e acertos dessa gestão, mas a ruptura da administração em andamento será catastrófica para o Clube. Desde os projetos em andamento como CT e o novo São Januário, a probabilidade de novas penhoras e o encerramento de todas as negociações em andamento, incluindo os profissionais do futebol, credores, patrocinadores e consultores comprometidos na reestruturação financeira.

De forma alguma teremos responsabilidade com o caos político e administrativo causado por uma eventual ruptura. Não adianta não assumir a responsabilidade e culpar essa gestão pelo fracasso futuro do Vasco. Essa culpa será de quem interromper este processo.

Subescrevem em ordem alfabética

Cruzada Vascaína
Desenvolve Vasco
PetroVasco

Fonte: Facebook Cruzada Vascaína