Dedé ainda cogita ida para a China, salário favorece saída ao exterior

14/01/2020 às 17h59 - FUTEBOL

Dedé não seguirá no Cruzeiro em 2020. Com propostas da China e o interesse antigo do Vasco, o zagueiro deve definir o futuro nos próximos dias. A permanência na Toca ficou difícil em função do hiato entre o salário atual dele e o que o clube pretende pagar aos atletas neste ano, em meio à maior crise financeira em 99 anos de história.

Na semana passada, o Cruzeiro iniciou as conversas com representantes do jogador no intuito de conseguir uma readequação salarial para que ele seguisse no grupo de Adilson Batista. O clube, inclusive, estava otimista por um acerto com o zagueiro, o que não aconteceu.

Segundo o GloboEsporte.com apurou, o salário do jogador dificulta o retorno ao Rio neste momento. Os representantes do atleta ainda não se reuniram com a cúpula do Vasco, mas já sabem quais são as condições que o clube irá oferecer. Dedé cogita, sim, a transferência ao futebol chinês.

A reportagem tentou contato com Giuliano Aranda, um dos agentes de Dedé, que não atendeu às ligações até a publicação da matéria. No início deste mês, Saulo Fróes, presidente do conselho gestor do Cruzeiro, confirmou que tinha, nas mãos, proposta de dois clubes por Dedé, mas não revelou quais.

Dedé chegou ao Cruzeiro em 2013, após se destacar no Vasco, onde conquistou a Copa do Brasil de 2011. No fim de 2014, no entanto, teve uma grave lesão no joelho. Com diversos procedimentos no local, só conseguiu ter sequência novamente em 2018. Na reta final do Brasileirão do ano passado, teve nova lesão no joelho, mas já está em fase final de recuperação. No total, foram 188 jogos com a camisa celeste, com a qual conquistou dois Brasileiros (2013 e 2014), duas Copas do Brasil (2017 e 2018) e três Mineiros (2014, 2018 e 2019).

Fonte: GloboEsporte.com