Dinamite recebeu apoio e elogio de Eurico Miranda

24/10/2012 às 18h55 - CLUBE

“Confusão é normal. Sempre tem”. As frases são do presidente do Conselho Deliberativo do Vasco, Abílio Borges. Nessa noite de terça-feira, ele presidiu uma tumultuada sessão na sede Náutica da Lagoa que teve de tudo um pouco. O presidente do Vasco, Roberto Dinamite, recebeu apoio e até elogio de Eurico Miranda, que discutiu asperamente com Nelson Rocha, ex-aliado de Dinamite e responsável pelas contas de 2011 - estas motivo da reunião dessa terça e que tiveram recomendação de reprovação por parte do Conselho Fiscal do clube, mas ganharam 60 dias para novo julgamento dos conselheiros do clube.

E olha que em 2012 o encontro de terça foi o primeiro marcado pelo Conselho Deliberativo. Segundo Abílio Borges, ainda há três sessões a serem marcadas para este ano: uma que vai discutir um reajuste no programa de sócios, além de outras duas extraordinárias, uma para orçamento 2013 e outra para, finalmente, votar a aprovação ou reprovação do balanço do exercício financeiro de 2011.

Segundo Abílio, os 60 dias de adiamento uniram a maior parte dos conselheiros. Sobre as reclamações quanto ao encerramento da reunião sem todos conselheiros terem declarado votos, ele se esquivou.

- Isso aí é choro de quem não teve suas vontades feitas. Não houve contagem, mas havia consenso para a prorrogação das contas. Não tinha porque ficar até meia-noite por algo que já estava decidido - disse Abílio Borges.

O ex-presidente Eurico Miranda explicou sua posição pelo adiamento do julgamento das contas pelo Conselho Deliberativo. Segundo ele, houve compromisso do presidente Roberto Dinamite de adequar o novo balanço às recomendações que o Conselho Fiscal fazia.

- É muito simples. As contas, como estavam, não podiam ser aprovadas. Quando cheguei na reunião, minha posição era outra (por reprovar as contas). Mas diante dos compromissos firmados, optei pelos 60 dias - disse Eurico Miranda, que negou qualquer outro acordo sobre inclusão das dívidas com Romário e José Luis Moreira, ex-dirigente do Vasco.

- Não se entrou nesse mérito. Não quero votar conta por votar. As contas de agora estavam cheias de irregularidades. O senhor Nelson Rocha é que deve explicações sobre esse balanço antigo. Agora, outro é que vai apresentar o novo - afirmou o ex-presidente do Vasco.
Citado por Eurico, Nelson Rocha discutiu na tribuna da sede náutica com o ex-presidente, mas também foi duro com Roberto Dinamite, de quem foi vice-presidente de finanças e ainda é vice-geral.

- É lamentável este acordo entre Eurico e Roberto - disse Nelson Rocha, que foi contra o prazo novo de 60 dias, como também era pelo de 120 dias.

- O Roberto e o (Antonio) Peralta (vice geral) devem entender mais de finanças do que eu - ironizou o ex-dirigente, que discutiu com Eurico e disse o ex-presidente não tinha moral para falar de balanço de contas.

- Estou vendo retorno de gente que nunca foi embora do Vasco - disse o ex-vice de finanças, referindo-se a Eurico.

Fiscal teme prazo

Helio Donin, presidente do Conselho Fiscal, disse que a decisão por 60 dias foi correta. Mas teme que não tenha tempo para auditar as novas contas entregues.

- O que não pode acontecer é me entregarem as contas faltando dois dias para terminar o novo prazo. Porque assim não vai dar para verificar nada, evidentemente - disse Donin, que espera solução em metade do tempo para um novo balanço.

O presidente da Cruzada Vascaína, Leonardo Gonçalves, foi contra o adiamento da votação das contas e ainda estuda a melhor maneira de protestar contra a decisão da noite de quinta.

- Foi uma vergonha o que o Abílio (Borges) fez. Nós filmamos tudo e vamos usar isso de alguma forma na justiça do Vasco ou até na comum - disse Leonardo Gonçalves.

Fonte: Jogo Extra - Extra Online