Diretor médico da FIFA defende o retorno do futebol após setembro

29/04/2020 às 13h43 - FUTEBOL

As medidas de prevenção e combate ao novo coronavírus estão cada vez mais presentes até mesmo no mundo do futebol. Desta vez, o diretor do comitê médico da Fifa, Michel D’Hooghe, defendeu que as partidas não sejam disputadas até o início de setembro para limitar a disseminação do vírus. Michel também orientou que sejam aplicados cartões amarelos caso algum jogador cuspa durante o jogo. 

"Se há um momento onde prioridades absolutas deveriam ser dadas a assuntos médicos, é agora. Não é questão de dinheiro, mas de vida ou morte.Essa é a situação mais dramática que já vivemos desde a Segunda Guerra Mundial. Nós não deveríamos subestimá-la, precisamos ser realistas", disse o médico em entrevista ao canal inglês Sky Sports News nesta terça-feira (27).

Neste momento, as federações de cada país estão se movimentando sobre o retorno dos seus respectivos campeonatos. Na Alemanha, por exemplo, tudo está sendo preparado para uma possível retomada no próximo mês, já o Campenato Inglês, espera que a volta das partidas com portões fechados seja feita em junho. 

Michel ainda afirmou que é muito cedo para que os jogadores voltem a ter um contato mais próximo, pelo menos enquanto as regras do isolamento social ainda estiverem em vigor.

"O mundo não está pronto para o futebol competitivo, eu espero que isso possa mudar muito rapidamente, e espero sinceramente. Hoje precisamos de mais paciência. O futebol só pode ser possível se o contato for possível novamente. O futebol continua sendo um esporte de contato e contato é uma das primeiras coisas que todos dizem que precisamos evitar", afirmou o doutor.

Fonte: Esporte Interativo