Distintos, Botafogo e Vasco se enfrentam

24/05/2006 às 22h15 - FUTEBOL

Dois rivais em situações distintas farão um clássico na próxima quinta-feira, às 20h30, no Maracanã, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Enquanto o Botafogo, em má fase, estréia o técnico Cuca \"perdido\", buscando a reabilitação, o Vasco, em paz pelo bom momento, conta com um treinador que conhece a fundo o seu elenco.

A diferença entre os rivais é brutal. No Botafogo, Cuca, que se apresentou ao clube na última segunda-feira, em substituição a Carlos Roberto, demitido pela má campanha do time (equipe está na zona do rebaixamento e não vence há cinco partidas), chega ao clássico sem ter comandado sequer um coletivo.

Após dois treinos pouco produtivos, um com campo encharcado e outro no escuro, o técnico tentou acertar a equipe mais na base da conversa e reconheceu que terá uma estréia incerta.

\"É muito pouco tempo. Não posso mentir dizendo que está tudo maravilhoso, que já senti o grupo. Vou sentir amanhã [quinta] no jogo se houve alguma melhora. Não existe magia no futebol, só trabalho e repetição até que se arrume uma equipe. Trabalhamos um pouco no campo, um pouco na preleção e eles [jogadores] vão se adaptando\", admitiu Cuca.

No Vasco, apesar da derrota por 4 a 2 para o Corinthians, em casa, na rodada passada, o ambiente é bem mais tranqüilo. O time ainda está motivado pela classificação às finais da Copa do Brasil e tem no banco de reservas um técnico que já está no comando da equipe há quase um ano.

\"O Renato tem uma vantagem: está no Vasco há um ano, o que, no nosso país, já é um fato. Então, ele tem um conhecimento profundo do grupo dele. Com certeza, ele está num momento mais tranqüilo do que o meu\", comentou Cuca, que, por outro lado, não se desespera.

\"Esse mau momento pode passar de uma hora pra outra. Hoje o Botafogo tem cinco pontos, o Vasco tem oito e o Flamengo tem sete. Se a gente ganha o clássico, se iguala ao Vasco e passa o Flamengo. Então, a coisa não está tão difícil a ponto de entrarmos em desespero\", completou.

Apesar do momento do Vasco ser infinitamente superior ao do Botafogo, o técnico Renato Gaúcho transferiu o favoritismo para o rival. \"Quem é o atual campeão carioca? Quem venceu o último clássico [5 a 3 Botafogo, pelo Estadual]? Então, o favorito é o Botafogo, não tenho dúvida disso\", afirmou.

Em comum, só desfalques
O único ponto em comum a Botafogo e Vasco neste clássico é o número de desfalques nas duas equipes. Ambos não terão suas duplas de zaga titulares, além de uma terceira ausência.

No Botafogo, os zagueiros Rafael Marques e Scheidt, lesionados, serão substituídos por Juninho e Asprilla. No Vasco, Fábio Braz e Jorge Luiz, suspensos pelas suas expulsões no último domingo, cedem vaga para Paulão e Éder.

\"Não acredito que o Botafogo virá fechado, porque eles estão na zona do rebaixamento e precisam dos pontos muito mais do que nós\", disse o técnico vascaíno Renato Gaúcho

\"Vamos tomar cuidado, porque não estaremos com a nossa dupla de zaga considerada ideal. Mas o Vasco também perdeu a sua e a idéia é fazer um jogo equilibrado e buscar a vitória\", declarou o treinador botafoguense Cuca.

Do lado alvinegro, além de não poder contar com Rafael Marques e Scheidt, o time também não terá o volante Diguinho, expulso na partida da rodada passada, contra o Juventude. Em seu lugar, joga Ataliba.

Entre os vascaínos, o terceiro desfalque é o goleiro Cássio, que também levou cartão vermelho na última rodada, diante do Corinthians. Para o lugar do jogador suspenso, o técnico escalou Roberto.

O Botafogo ainda poderia ter outros dois desfalques, mas o volante Thiago Xavier e o meia Sérgio Manoel pegaram apenas uma partida de suspensão (já cumprida) em julgamento realizado nesta quarta-feira, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva e estão liberados. Contudo, o técnico Cuca ainda não definiu a entrada de Sérgio Manoel.

Fonte: Pelé.Net