Em relatório, CBF diz que Vasco foi prejudicado no jogo contra o Flamengo

26/10/2018 às 09h40 - FUTEBOL

Pouca gente sabe, mas a CBF faz, em seu site oficial, uma análise dos lances capitais da arbitragem na Série A do Campeonato Brasileiro, apontando erros e acertos dos árbitros.

O GloboEsporte.com fez uma análise de todos os tópicos apresentados pela entidade. A conclusão é que, na opinião da CBF (ao menos nos lances listados por ela em seu site oficial), o time mais ajudado pela arbitragem é a Chapecoense (ganhou seis pontos em erros de arbitragem) e o mais prejudicado é o Corinthians (poderia ter seis pontos a mais).

Até a publicação deste levantamento, a última rodada analisada pela CBF em seu site oficial havia sido a 27ª. Desde então, outras três rodadas já foram disputadas, com novos lances polêmicos de arbitragem, como o gol anulado de Leandro Damião, do Inter, em jogo contra o Santos, na última segunda-feira, quando os árbitros deliberaram por mais de seis minutos antes de uma definição sobre a jogada.

É importante salientar que muitos dos lances polêmicos, contestados por clubes e torcedores, não entram na relação dos avaliados pela CBF em seu site oficial. Não está claro qual o critério utilizado pela entidade.

A tabela abaixo é um retrato apenas dos lances que foram analisados pela CBF em seu site oficial. Vários outros possíveis erros ficaram fora dessa lista.

Análise feita pela CBF dos erros da arbitragem no Brasileiro (gols e pênaltis)

Um esclarecimento a ser feito é: se Cruzeiro (cinco), Atlético-PR e Santos (quatro) tiveram mais erros contra do que o Corinthians (três), como é o Timão o mais prejudicado, com a perda de seis pontos? Isso se dá porque os erros a favor do Corinthians foram em lances que não tiveram impacto direto no resultado (veja relação completa abaixo).

América-MG

Foi beneficiado:

Pênalti não marcado sobre Gabriel, do Corinthians, em Belo Horizonte. Jogo acabou 0 a 0.

Foi prejudicado:

Gol com impedimento do Ceará no Castelão. Jogo acabou 2 a 2;
Pênalti para o Ceará no Castelão, em jogo que acabou 2 a 2;
Pênalti contra o Vitória não marcado em Belo Horizonte. Jogo acabou 2 a 1 para o Coelho.

Saldo: ganhou um ponto no jogo contra o Corinthians em partida que poderia ter perdido, se o pênalti para o time paulista fosse marcado. Mas perdeu dois pontos no jogo contra o Ceará, quando estava vencendo e foi duplamente prejudicado.

Atlético-MG

Foi beneficiado:

Pênalti em Gabigol não marcado em Belo Horizonte. Jogo acabou 3 a 1 para o Galo;
Pênalti para o Bahia não marcado na Fonte Nova, em jogo que acabou 2 a 2.

Foi prejudicado:

Gol impedido do Bahia na Fonte Nova. Jogo acabou 2 a 2;
Pênalti da Chapecoense em Belo Horizonte, com mão na bola, não marcado. Jogo foi 3 a 3;

Saldo: no jogo contra o Bahia, um erro contra e outro a favor deixaram tudo em situação de equivalência. Deixou de ganhar dois pontos ao ser prejudicado contra a Chape. No jogo contra o Santos, o pênalti não marcado em Gabriel foi quando a partida estava empatada em 1 a 1 (o Galo fez dois gols depois).

Atlético-PR

Foi beneficiado:

Gol do Cruzeiro mal anulado por impedimento no Mineirão, em jogo que a Raposa venceu por 2 a 1.

Foi prejudicado:

Pênalti para o Grêmio em Curitiba, em jogada que foi falta de ataque. Jogo acabou 2 a 1 para o Furacão;
Gol de Barcos, impedido, no Mineirão, em jogo que acabou 2 a 1 para o Cruzeiro;
Gol de mão do Internacional em Curitiba. Jogo terminou 2 a 2;
Pênalti não marcado contra o Paraná, no Durival Britto. Jogo acabou 0 a 0.

Saldo: Poderia ter quatro pontos a mais na tabela, e isso ressaltando que a CBF não colocou em análise o pênalti marcado a favor do Santos, nos acréscimos, quando o jogo estava 0 a 0.

Bahia

Foi beneficiado:

Gol impedido contra o Fluminense no Maracanã, em partida que terminou 1 a 1;
Gol impedido contra o Atlético-MG na Fonte Nova. Jogo acabou 2 a 2.

Foi prejudicado:

Pênalti contra o Atlético-MG não marcado na Fonte Nova, em jogo que acabou 2 a 2.

Saldo: na análise da CBF, supondo que no jogo contra o Atlético-MG um erro a favor anularia um erro contra, era para ter um ponto a menos na tabela (fruto do empate com o Flu).

Botafogo

Foi beneficiado:

Pênalti não marcado sobre Jael em Porto Alegre, em jogo que o Grêmio venceu por 4 a 0;

Foi prejudicado:

Pênalti de Geromel sobre Joel Carli em Porto Alegre. Jogo acabou 4 a 0 para o Grêmio;
Gol anulado contra o Santos no Engenhão, em partida que terminou 0 a 0.

Saldo: poderia ter dois pontos a mais, se o gol contra o Santos tivesse sido validado.

Ceará

Foi beneficiado:

Pênalti não marcado para o Grêmio em Fortaleza. Jogo acabou 1 a 0 para os visitantes;
Gol com impedimento contra o América-MG no Castelão. Jogo acabou 2 a 2;
Pênalti inexistente assinalado contra o América-MG no Castelão, em jogo que acabou 2 a 2;
Pênalti para o Corinthians não marcado em São Paulo. Jogo terminou 1 a 1.

Foi prejudicado:

Não houve nenhum prejuízo ao Ceará por erro de arbitragem reconhecido pela CBF.

Saldo: ganhou dois pontos em erros de arbitragem, segundo a análise da CBF: um do empate com o América-MG e um em empate com o Corinthians.

Chapecoense

Foi beneficiado:

Gol contra o Grêmio na Arena Condá, com impedimento no meio do lance. Jogo foi 1 a 1;
Gol contra o Cruzeiro em Chapecó, com mão na bola. Jogo acabou 2 a 0 para a Chape;
Pênalti para o Atlético-MG, em Belo Horizonte, não marcado. Jogo foi 3 a 3;
Gol legal do Palmeiras anulado no fim do jogo, em São Paulo. Jogo acabou 0 a 0.

Foi prejudicado:

Não houve nenhum prejuízo à Chapecoense por erro de arbitragem reconhecido pela CBF.

Saldo: ganhou seis pontos com erros de arbitragem apontados pela CBF, somando os pontos de empates contra Palmeiras, Atlético-MG e Grêmio (jogos que poderia ter perdido), além da vitória contra o Cruzeiro.

Corinthians

Foi beneficiado:

Pênalti não marcado para o Palmeiras, que acabou vencendo por 1 a 0, no segundo turno;
Gol do Jonathas contra São Paulo, jogo terminou 3 a 1 para o Tricolor no Morumbi.

Foi prejudicado:

Gol de Leandro Damião em Itaquera, impedido. Jogo acabou 1 a 1;
Pênalti sobre Gabriel contra o América-MG, em Belo Horizonte. Jogo acabou 0 a 0;
Pênalti sobre Pedrinho contra o Ceará, em Itaquera, no primeiro turno. Jogo acabou 1 a 1.

Saldo: nos jogos em que foi beneficiado, não haveria alteração no placar final, caso a arbitragem não tivesse errado. Deixou de ganhar seis pontos, porém, já que poderia ter vencido (e só empatou) Inter, América-MG e Ceará.

Cruzeiro

Foi beneficiado:

Pênalti de Gustavo Gómez marcado no Pacaembu, em partida que terminou 3 a 1 para o Palmeiras;
Pênalti para o São Paulo não marcado no Mineirão, em jogo vencido pelo Tricolor por 2 a 0;
Gol impedido contra o Atlético-PR no Mineirão, em jogo que acabou 2 a 1 para o Cruzeiro.

Foi prejudicado:

Gol legal anulado por impedimento contra o Sport, na Ilha do Retiro. Jogo terminou 0 a 0;
Gol legal anulado por impedimento contra o Atlético-PR, no Mineirão. Jogo foi 2 a 1 para o Cruzeiro;
Gol de mão da Chapecoense em Chapecó. Jogo acabou 2 a 0 para a o time da casa;
Pênalti em Edilson não marcado contra o Vasco no Mineirão. Jogo foi 1 a 1;
Pênalti em Raniel não marcado contra o Vasco no Mineirão. Jogo foi 1 a 1.

Saldo: poderia ter quatro pontos a mais, não fossem os erros apontados pela CBF.

Flamengo

Foi beneficiado:

Pênalti não marcado para o Paraná no Maracanã. Jogo acabou 2 a 0 para o Flamengo;
Gol impedido de Vinicius Jr. no Maracanã contra o Vasco. Jogo acabou 1 a 1;
Gol de Rever contra o Vitória no Barradão teve passe de Arão, impedido. Jogo foi 2 a 2.

Foi prejudicado:

Pênalti de Rodinei em Porto Alegre. Jogo acabou 2 a 0 para o Grêmio;
Pênalti e expulsão de Everton Ribeiro contra o Vitória, no Barradão. Jogo acabou 2 a 2.

Saldo: pela avaliação da CBF, tem um ponto a mais, graças a erros da arbitragem.

Fluminense

Foi beneficiado:

Não houve nenhum benefício ao Fluminense por erro de arbitragem reconhecido pela CBF.

Foi prejudicado:

Gol impedido do Bahia no Maracanã, em partida que terminou 1 a 1;
Pênalti não marcado do São Paulo no Maracanã. Jogo acabou 1 a 1.

Saldo: poderia ter quatro pontos a mais, fruto de vitórias em dois jogos que acabou empatando, por conta de erros da arbitragem, de acordo com a análise feita pela CBF.

Grêmio

Foi beneficiado:

Pênalti não marcado de Geromel contra o Santos no Pacaembu. Jogo acabou 0 a 0;
Pênalti de Geromel contra o Botafogo em Porto Alegre. Jogo acabou 4 a 0 para o Grêmio;
Falta de Paulo Miranda sobre defensor do Atlético-PR em Curitiba, árbitro marcou pênalti para o Gremio. Jogo acabou 2 a 1 para o Furacão;
Pênalti contra o Flamengo em Porto Alegre. Jogo acabou 2 a 0 para o Grêmio.

Foi prejudicado:

Pênalti sobre Jael contra o Botafogo em Porto Alegre, em jogo que o Grêmio venceu por 4 a 0;
Gol da Chape na Arena Condá, com impedimento no meio do lance. Partida terminou 1 a 1;
Pênalti sobre Everton não marcado contra o Ceará. Jogo acabou 1 a 0 para o Grêmio.

Saldo: entre erros a favor e contra, acabaria não tendo alteração na tabela, de acordo com a análise da CBF.

Inter

Foi beneficiado:

Pênalti marcado contra o Vitória em jogo do Beira-Rio por mão, que foi fora da área. Jogo terminou 2 a 1 para o Inter;
Gol de Leandro Damião contra o Corinthians em Itaquera, impedido. Jogo acabou 1 a 1;
Gol de mão contra o Atlético-PR em Curitiba. Jogo terminou 2 a 2;
Pênalti contra o Santos na Vila Belmiro, em jogo que acabou 2 a 1 para o Inter.

Foi prejudicado:

Gol de Nico López contra o Vitória, no Beira Rio, anulado por impedimento. Jogo terminou 2 a 1 para o Inter;
Pênalti para o Santos na Vila Belmiro, em jogo vencido pelo Colorado por 2 a 1;
Gol anulado contra o Palmeiras no Pacaembu. Jogo acabou 1 a 0 para o time da casa.

Saldo: como a análise da CBF foi feita até a 27a rodada, deixando fora, por exemplo, a avaliação do jogo da última segunda-feira contra o Santos, o levantamento mostra que o Inter, entre perdas e ganhos com a arbitragem, tem um ponto a mais do que deveria ter.

Palmeiras

Foi beneficiado:

Gol legal do Inter anulado no Pacaembu. Jogo acabou 1 a 0 para o Palmeiras.

Foi prejudicado:

Pênalti de Gustavo Gómez marcado para o Cruzeiro no Pacaembu, em partida que terminou 3 a 1 para o Palmeiras;
Pênalti não marcado contra o Corinthians no segundo turno. Palmeiras venceu por 1 a 0;
Gol legal anulado no fim do jogo contra a Chapecoense, em São Paulo. Jogo acabou 0 a 0.

Saldo: de acordo com a análise da CBF, poderia ter dois pontos a mais, se não tivesse um gol mal anulado contra a Chape. Mas também poderia estar com dois pontos a menos, fruto da vitória com um gol ilegal diante do Inter, no início do Brasileiro. Ou seja: entre erros e acertos, tudo ok.

Paraná

Foi beneficiado:

Pênalti do Vitória não marcado no Barradão. Jogo terminou 1 a 0 para o Vitória;
Pênalti não marcado para o Atlético-PR no Durival Britto. Jogo acabou 0 a 0.

Foi prejudicado:

Pênalti não marcado contra o Flamengo no Maracanã. Jogo acabou 2 a 0 para o time da casa.

Saldo: teria um ponto a menos, caso tivesse perdido para o Atlético-PR o jogo que terminou empatado com um pênalti não marcado para o Furacão.

Santos

Foi beneficiado:

Gol anulado do Botafogo no Engenhão, em partida que terminou 0 a 0;
Pênalti contra o Inter na Vila Belmiro, em jogo vencido pelo Colorado por 2 a 1.

Foi prejudicado:

Pênalti não marcado de Geromel no Pacaembu, em partida que acabou 0 a 0;
Gol legal, mal anulado por impedimento contra o Sport, na Vila Belmiro, em jogo vencido pelo Santos por 3 a 0;
Pênalti em Gabigol não marcado contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte. Jogo acabou 3 a 1 para o Galo;
Pênalti para o Inter na Vila Belmiro, em jogo que acabou 2 a 1 para o time visitante.

Saldo: era para ter perdido para o Botafogo um jogo que acabou empatado (o que lhe tiraria um ponto). Mas poderia ter vencido o Grêmio em jogo que terminou empatado, caso a arbitragem tivesse dado um pênalti de Geromel em Rodrygo. Ou seja: no balanço, poderia ter um ponto a mais. Vale ressaltar que a CBF não avaliou o pênalti que deu a vitória ao Santos contra o Atlético-PR.

São Paulo

Foi beneficiado:

Pênalti não marcado de Arboleda contra o Fluminense no Maracanã. Jogo acabou 1 a 1.

Foi prejudicado:

Pênalti não marcado no Mineirão contra o Cruzeiro. Jogo acabou 2 a 0 para o São Paulo;
Gol ilegal do Corinthians, em jogo que terminou 3 a 1 para o Tricolor no Morumbi.

Saldo: poderia ter um ponto a menos na tabela, caso o Fluminense convertesse o pênalti não marcado. O Tricolor venceu os dois jogos em que foi prejudicado.

Sport

Foi beneficiado:

Gol do Cruzeiro mal anulado na Ilha do Retiro, em jogo que acabou 0 a 0;
Gol do Santos na Vila Belmiro mal anulado por impedimento, em jogo vencido pelo time da casa por 3 a 0.

Foi prejudicado:

Não houve nenhum prejuízo ao Sport por erro de arbitragem reconhecido pela CBF.

Saldo: perderia o ponto do empate com o Cruzeiro, caso a arbitragem não tivesse mal anulado um gol do time mineiro.

Vasco

Foi beneficiado:

Pênalti em Edilson, do Cruzeiro, não marcado no Mineirão. Jogo foi 1 a 1;
Pênalti em Raniel, do Cruzeiro, não marcado no Mineirão. Jogo foi 1 a 1;

Foi prejudicado:

Gol impedido de Vinicius Jr. para o Flamengo no Maracanã. Jogo acabou 1 a 1.

Saldo: ganhou um ponto em empate com o Cruzeiro, jogo que poderia ter perdido, caso a arbitragem marcasse pênalti para o time mineiro. Mas deixou de vencer o Flamengo (o que lhe renderia mais dois pontos), por conta de um gol impedido. Ou seja: era para estar com um ponto a mais, se não houvesse erro de arbitragem.

Vitória

Foi beneficiado:

Gol de Nico López, no Beira Rio, anulado por impedimento. Jogo terminou 2 a 1 para o Inter;
Pênalti para o América-MG não marcado em Belo Horizonte. Jogo foi 2 a 1 para o Coelho;
Pênalti e expulsão equivocadas de Everton Ribeiro, do Flamengo, no Barradão. Jogo foi 2 a 2.

Foi prejudicado:

Pênalti marcado para o Inter em jogo do Beira Rio por mão, que foi fora da área. Jogo terminou 2 a 1 para o Inter;
Pênalti não marcado sobre André Lima contra o Paraná no Barradão. Jogo terminou 1 a 0 para o Vitória;
Gol de Rever, do Flamengo, no Barradão, teve impedimento na jogada. Jogo foi 2 a 2.

Saldo: entre erros e acertos, permaneceria onde está na tabela.

Foto: Internet flamengo x vasco
flamengo x vasco

Fonte: GloboEsporte.com