Ex-coordenador científico do Vasco diz que clube acertou em efetivar Ramon

16/05/2020 às 21h50 - FUTEBOL

Poucas pessoas conhecem tanto de Vasco como coordenador científico Daniel Gonçalves, que atualmente trabalha no Palmeiras com Vanderlei Luxemburgo. No Gigante da Colina, o profissional trabalhou em diversos setores: velocista do clube, treinador de atletismo, treinador de futebol feminino adulto, preparador físico, fisiologista até chegar na atividade que exerce hoje.

Levado por Luxa para o Verdão, o coordenador científico, que é referência nesta função, sabe tudo sobre o atual treinador vascaíno, Ramon Menezes, tendo em vista que os dois trabalharam juntos em diversos momentos: quando o atual técnico vascaíno ainda era jogador e Daniel preparador físico, na comissão técnica do Cruzmaltino na temporada passada e ainda fizeram o curso da CBF no mesmo período.

Questionado pelo Papo na Colina, se a diretoria do Vasco agiu corretamente ao efetivar Ramon, o coordenador científico afirmou que foi uma boa decisão. ''Escolha certa, porque ele é capacitado, conhece o Vasco, tem idolatria da torcida. Além disso, já tinha o perfil de liderança e de um atleta mais crítico, em relação aos treinos e processos, quando jogava. Diante do cenário, até por estar junto do Antônio Lopes, um cara experiente e que tem domínio do vestiário, assessorado por Júnior Lopes, tem tudo para dar certo'', comentou ele que falou sobre a personalidade de Ramon como técnico.

''Ele sempre foi um cara gentil, além de ter vários atributos. Também vale ressaltar que tem a ''boleiragem'' por ter sido jogador. Pode cobrar pelo exemplo, pois se encontra em boa forma física. O Ramon atende ao perfil estudioso e ganhou uma grande oportunidade agora no Vasco. Consegue conciliar os dois lados, tanto o boleiro como o estudioso. Foi uma bela aposta. Ele é um líder pelo exemplo e não pela autoridade e, dessa forma, consegue fazer com que os jogadores tenham aderência ao seu trabalho'', disse Daniel, que comentou como pensa que será o estilo de jogo de Ramon, que terá seu primeiro desafio em uma clube grande na carreira.

''Eu acredito que será um treinador que se adapta as ferramentas que tem na mão. Pelo estilo dele como jogador, valoriza o aspecto ofensivo e a posse de bola. Vai ser um cara que vai treinar bastante as bolas paradas, até porque já cuidava dessa parte'', encerrou.
 

Fonte: Papo na Colina