Ex-vascaínos estão entre os 5 maiores artilheiros da Copa América

20/06/2019 às 13h38 - FUTEBOL

Os dois maiores artilheiros da Copa América em atividade já deixaram suas marcas na edição 2019 do torneio e estão prontos para subir na lista histórica de marcadores. O chileno Eduardo Vargas e o peruano Paolo Guerrero balançaram as redes uma vez cada na competição e estão empatados com 12 gols na artilharia do torneio entre seleções mais antigo do planeta.

Os dois ocupam, desta forma, a 10ª posição na artilharia histórica da Copa América, juntos aos uruguaios Roberto Porta e Ángel Romano. Caso consigam marcar ao menos mais uma vez em terras brasileiras, Guerrero e Vargas poderão chegar à quinta colocação em tal lista, igualando nomes como os brasileiros Ademir Menezes e Jair da Rosa Pinto, e o argentino Gabriel Batistuta.

Os maiores artilheiros da história da Copa América seguem sendo o brasuca Zizinho e o argentino Norberto Méndez, com 17 gols. Confira abaixo a lista de maiores artilheiros da história da Copa América:

1) Zizinho
17 gols em 33 jogos (0,51 de média)

Ídolo de clubes como Flamengo, São Paulo e Bangu, Zizinho é quem ocupa o topo da artilharia da Copa América até hoje. Tendo disputado seis edições da competição entre 1942 e 1957, o meia da seleção brasileira marcou 17 gols em um total de 33 partidas - tendo média de 0,51 gol por jogo. Fez parte do grupo que conquistou o título em 1949.

1942 - 2 gols em 4 jogos
1945 - 2 gols em 6 jogos
1946 - 5 gols em 5 jogos
1949 - 5 gols em 7 jogos (Campeão)
1953 - 1 gol em 5 jogos
1957 - 2 gols em 6 jogos

1) Norberto Menendez (Argentina)
17 gols em 17 jogos (1 de média)

Norberto Menendez talvez não esteja entre os mais populares atacantes da história do futebol argentino, mas tem seu nome marcado no país vizinho. O ex-atacante de Huracán e Racing é o 13º maior artilheiro da seleção e, ainda hoje, está no topo da lista de marcadores da Copa América, com uma impressionante média: 17 gols em 17 jogos. Foi, desta forma, fundamental para o tricampeonato da Argentina entre 1945 e 1946.

1945 - 6 gols em 5 jogos (Campeão)
1946 - 5 gols em 5 jogos (Campeão)
1947 - 6 gols em 7 jogos (Campeão)

3) Severino Varela (Uruguai)
15 gols em 15 jogos (1 de média)

O uruguaio Severino Varela é mais um da lista a figurar entre os maiores artilheiros da história de sua seleção, aparecendo em 11º. E quando o assunto é Copa América, ele é o terceiro maior no ranking, tendo marcado 15 gols em 15 partidas, ao longo de três edições da competição. Conseguiu um título sul-americano, em 1942.

1937 - 5 gols em 5 jogos
1939 - 5 gols em 4 jogos
1942 - 5 gols em 6 jogos (Campeão)

3) Teodoro Fernández (Peru)
15 gols em 24 jogos (0,62 de média)

Sexto maior artilheiro da história do Peru, bem longe de Paolo Guerrero, Teodoro Fernández leva a melhor sobre o atual camisa 9 quando o tema é Copa América. O ídolo do Universitário marcou todos os seus 15 gols pela seleção em Copas Américas e também figura em terceiro na artilharia histórica da competição, tendo o melhor desempenho em 1939, ano em que o Peru conseguiu o título.

1935 - 1 gol em 3 jogos
1937 - 2 gols em 4 jogos
1939 - 7 gols em 4 jogos (Campeão)
1941 - 3 gols em 4 jogos
1942 - 2 gols em 6 jogos
1947 - 0 gol em 3 jogos

5) Ademir Menezes
13 gols em 18 jogos (0,72 de média)

Dos 31 gols marcados por Ademir Menezes com a camisa da seleção brasileira, 13 deles foram em Copas Américas. O Queixada, ex-jogador de Vasco, Fluminense e Sport atuou em quatro edições do torneio, disputando 18 partidas e conquistando um título, em 1949.

1945 - 5 gols em 6 jogos
1946 - 0 gol em 4 jogos
1949 - 7 gols em 5 jogos (Campeão)
1953 - 1 gol em 3 jogos

5) Jair da Rosa Pinto
13 gols em 18 jogos (0,72 de média)

Com média exatamente igual à de Ademir, Jair da Rosa Pinto chegou a dividir o vestiário com o compatriota - e acabou tendo a mesma quantidade de gols: 13 em 18 jogos. Com passagens por Vasco, Flamengo, Palmeiras e Santos, também fez parte da conquista do título em 1949.

1945 - 2 gols em 4 jogos
1946 - 2 gols em 4 jogos
1949 - 9 gols em 7 jogos
1956 - 0 gol em 2 jogos

5) José Manuel Moreno (Argentina)
13 gols em 16 jogos (0,81 de média)

Com apenas três participações em Copas Américas, o meia argentino José Manuel Moreno figura entre os maiores artilheiros com 13 gols marcados em 16 partidas. O ex-jogador do River Plate conseguiu participar de dois elencos vitoriosos na competição, com alguns anos de distância, em 1941 e 1947.

1941 - 3 gols em 4 jogos
1942 - 7 gols em 6 jogos
1947 - 3 gols em 6 jogos

5) Héctor Scarone (Uruguai)
13 gols em 17 jogos (0,76 de média)

Quarto maior artilheiro da história da seleção uruguaia, Héctor Scarone marcou 13 de seus 31 gols pelo time em Copas Américas. O atacante participou de seis edições do torneio, ainda em seus primórdios, e conquistou nada menos que quatro títulos, em 1917, 1923, 1924 e 1926.

1917 - 2 gols em 3 jogos
1919 - 1 gol em 3 jogos
1923 - 1 gol em 3 jogos
1924 - 0 gol em 2 jogos
1926 - 6 gols em 4 jogos
1927 - 3 gols em 2 jogos

5) Gabriel Batistuta (Argentina)
13 gols em 16 jogos (0,81 de média)

Um dos mais famosos atacantes da história da Argentina, Gabriel Batistuta era, até o surgimento de Messi, o maior artilheiro de sua seleção, com 54 gols. Destes, o ex-jogador de Fiorentina e Roma marcou 13 vezes em três Copas Américas. Em duas delas, saiu campeão: 1991 e 1993 - último título da Argentina em todas as competições.

1991 - 6 gols em 6 jogos
1993 - 3 gols em 6 jogos
1995 - 4 gols em 4 jogos

10) Ángel Romano (Uruguai)
12 gols em 23 jogos (0,52 de média)

Abrindo a lista de atletas empatados na 10ª colocação, vem o uruguaio Ángel Romano, recordista de participações em Copa Américas entre os maiores artilheiros do torneio e quinto maior marcador da história de sua seleção. Tendo jogado em oito diferentes edições, marcou 12 vezes em 23 jogos. E conquistou cinco títulos com a Celeste Olímpica: 1916, 1917, 1920, 1924 e 1926.

1916 - 0 gol em 2 jogos
1917 - 4 gols em 3 jogos
1919 - 0 gol em 3 jogos
1920 - 3 gols em 3 jogos
1921 - 2 gols em 3 jogos
1922 - 0 gol em 4 jogos
1924 - 2 gols em 3 jogos
1926 - 1 gol em 2 jogos

10) Roberto Porta (Uruguai)
12 gols em 20 jogos (0,6 de média)

De uma geração seguinte à de Ángel Romano, Roberto Porta não está entre os grandes artilheiros da história do Uruguai, mas teve bom desempenho em Copas Américas. O ex-jogador do Nacional balançou as redes 12 vezes em 20 jogos, ao longo de quatro edições na Copa América.

1939 - 3 gols em 4 jogos
1941 - 1 gol em 4 jogos
1942 - 5 gols em 6 jogos
1945 - 3 gols em 6 jogos

10) Eduardo Vargas (Chile)
12 gols em 13 jogos (0,92 de média)

Lutando contra Alexis Sánchez para se tornar o maior artilheiro da história da seleção chilena, Eduardo Vargas é o grande nome do país em Copas Américas. O atacante ex-Grêmio já marcou 12 vezes na competição, em apenas 13 jogos. Em 2019, balançou as redes logo na primeira rodada, diante do Japão - e espera ter em 2019 o mesmo desfecho das duas outras vezes em que jogou o torneio, em 2015 e 2016, quando saiu campeão.

2015 - 4 gols em 5 jogos
2016 - 6 gols em 5 jogos
2017 - 2 gols em 1 jogo

10) Paolo Guerrero (Peru)
12 gols em 21 jogos (0,57 de média)

Maior artilheiro da história do Peru, Paolo Guerrero foi o último a entrar no Top 10 de maiores artilheiros da Copa América, com o gol marcado diante da Bolívia, no Maracanã, na última terça-feira. Foi a 12ª vez que o ex-jogador de Corinthians, Flamengo e Internacional balançou as redes, em um total de 21 partidas, ao longo de cinco diferentes edições.

2007 - 1 gol em 4 jogos
2011 - 5 gols em 5 jogos
2015 - 4 gols em 6 jogos
2016 - 1 gol em 4 jogos
2019 - 1 gol em 2 jogos

Fonte: GloboEsporte.com