Ex-Vasco, Éder Luis analisa cenário do futebol durante pandemia

09/05/2020 às 09h04 - FUTEBOL

O atacante Eder Luis tem aproveitado a quarentena para sair na frente quando a bola voltar a rolar. Com 35 anos recém-completados e em busca de um novo clube, o jogador ex-Vasco, Atlético-MG e São Paulo garante foco no segundo semestre em meio às incertezas provocadas pela pandemia da Covid-19.
 

Com experiência em grandes clubes brasileiros e até no Benfica, de Portugal, Eder Luis projetou um cenário para os trintões na retomada do futebol.

Para o atacante, quem se cuidou durante a carreira, independentemente da idade, poderá sofrer menos o impacto da quebra da temporada e do retorno com calendário enxuto.

– Quem se cuidou lá atrás consegue ainda ter um benefício. Não só quem está nessa faixa dos 30, mas tem muito garoto que não se cuidou desde novo, pode voltar com risco de lesão muito grande. Essa base de força é construída ao longo da carreira, graças a Deus eu consegui. Mesmo com uma lesão no joelho (2013), sempre tive uma disciplina muito grande. Mas temos que ver nos jogos, nas viagens. Vai ser um resto de ano, independentemente se o cara é velho ou novo, com desgaste físico grande – disse o atacante, que disputou a Série B do Brasileiro pelo Guarani em 2019.
 

Natural de Uberaba, mas morando em Uberlândia, no interior de Minas, Eder Luis segue a preparação para o alto rendimento visando o Campeonato Brasileiro de 2020, que começaria em maio e segue sem data.

Com ajuda do preparador físico Juninho Fernandes, que soma experiência em clubes profissionais da cidade, o atacante simula treinos parecidos aos do dia a dia do futebol.

– Não estamos falando que vamos chegar 100%, tentamos perder o mínimo possível. Quando voltar, acredito que não vai dar tempo dos jogadores treinarem, é o que tem acontecido já nos estaduais. Quando liberar, vai ser uma, duas semanas, para jogar uma partida de futebol. Quem conseguir treinar firme e chegar o melhor possível, vai sair na frente – pontuou.

 

Eder Luis mantém contatos com amigos da bola e cita a realidade complicada de todos. No caso do atacante, as incertezas por estar sem clube pesam ainda mais, apesar de dizer ter recebido propostas recentemente.

– Bate muita saudade. Está difícil não só para nós jogadores, mas para todo mundo. Não sabemos como vai ser esse ano, principalmente financeiramente para os clubes, que já vêm há anos com dificuldades. Mas espero que volte, os clubes se ajeitem e o futebol volte a dar alegrias como sempre deu à população – finalizou Eder Luis, que, até a pandemia, pretendia jogar ainda por mais duas temporadas.

Fonte: Globoesporte.com