Ex-Vasco, Matheus Jussa vem se destacando no Oeste

20/09/2019 às 10h15 - FUTEBOL

Com apenas 23 anos, Matheus Jussa coleciona passagens por times tradicionais do futebol brasileiro. Algo que pode ser motivo de orgulho para alguns jogadores, mas foi não bem assim para o volante.

Criado em uma família humilde de Osasco, Matheus deixou seus pais e se transferiu à capital paulista para iniciar sua história pela Portuguesa. Apontado como uma das principais revelações da Lusa na época, o volante antes mesmo de completar a maioridade assinou seu primeiro contrato profissional e integrou o elenco para a disputa da Série B em 2014, que contava com nomes conhecidos, como Henrique Dourado, Marcos Assunção, Jean Mota, Régis, entre outros.

– Aos 14 anos, comecei na base da Portuguesa e quando completei 17 anos assinei meu primeiro contrato profissional, subi para disputar a Série B, que foi uma baita experiência para o início da minha carreira – disse Matheus.

Mesmo com o rebaixamento da Portuguesa naquele ano à Série C do Brasileiro, Matheus Jussa chamou atenção do Vasco, que fechou um contrato por três temporadas. Ali começaria o momento mais difícil da carreira, segundo o volante.

Acostumado com a pressão e o estilo de uma competição profissional, Matheus precisou descer um degrau e foi integrado ao elenco sub-20 do Vasco. No seu último ano de base, o volante acabou se contundindo, mas uma conversa com o técnico Jorginho embalou a recuperação do jogador.

"Fui contratado numa expectativa muito boa de me profissionalizar, mas fui direto ao sub-20", disse Matheus.

– Estava no meu último ano e me machuquei, fiquei quatro meses parado. Antes da minha lesão, o Jorginho me pediu para acelerar o tratamento e estava tentando de todos os lados agilizar o processo para ter realmente uma vaga no profissional – completou.

E com a saída de Jorginho, o novo comandante Cristóvão Borges mudou os planos para a temporada de 2017 do Vasco. Com isso, Matheus Jussa acabou perdendo o espaço. Inclusive, foi proibido de treinar com o restante do elenco e ficou sete meses fazendo apenas academia no clube.

– Ele [Jorginho] acabou saindo, e não consegui ter a oportunidade para mostrar meu futebol. Fiquei no clube sem aquele respaldo e confiança. O técnico depositando as fichas no jogador, o cara vai se sentir motivado, mas quando não tem esse feedback fica difícil. Fiquei chateado com o clube, mas não guardo magoas do Vasco – comentou.

"Nunca treinei com eles [profissionais]. Foi o momento mais difícil da minha vida. Eu tinha tudo, mas não tinha nada. Eu não existia para eles", explicou.

Retomada na carreira

Após um acordo entre os empresários e a diretoria do Vasco, Matheus conseguiu ter seu contrato rescindido e foi anunciado pelo Botafogo-SP. Na sequência, optou em aceitar a proposta do São Bernardo e ficou duas temporadas no clube do ABC. Ao todo, o volante disputou 26 jogos com a camisa do Tigre.

– Meus empresários entraram em contato com o Vasco e rolou um acordo para que eu pudesse se transferir ao São Bernardo sem custo – explica.

Há três meses, Matheus acredita estar vivendo o melhor momento da sua carreira. O Oeste acompanhou seu desempenho durante a Série A2 do Campeonato Paulista e o contratando. Não demorou para cair nas graças do técnico Renan Freitas. Nas últimas quatro rodadas, o volante desbancou os experientes Betinho e Lídio e se tornou titular absoluto do Rubrão.

– Vivo um bom momento na minha carreira. Levo isso para a vida. Sempre trabalho para mim, nunca faço meu trabalho pensando no técnico, diretoria ou presidente. Preciso continuar me mantendo bem e com isso vou me destacando. Mesmo com o Lídio e o Betinho no banco é um bom estudo para os mais jovens e nos treinamentos vamos aprendendo com esses caras mais experientes – finalizou.

O Oeste entra em campo pela 23ª rodada da Série B no próximo sábado, às 19h, contra o Cuiabá, na Arena Pantanal. O GloboEsporte.com acompanha a partida em Tempo Real, com vídeos dos principais lances.

Fonte: GloboEsporte.com