Felipe Ferreira: 'Não tinha como rejeitar o Vasco'

01/10/2019 às 10h31 - FUTEBOL

Depois de uma operação complicada e fechada somente no último minuto, Felipe Ferreira foi, enfim, apresentado no Vasco. O meio-campista, que se destacou no CRB e chega por empréstimo até o fim do Campeonato Carioca de 2020, admitiu que teve momentos de tensão antes de ser confirmado no clube.

O Vasco só conseguiu inscrever Felipe no limite do prazo da CBF. Tudo porque, apesar do acerto com o clube, o jogador ainda precisava da liberação do CRB - o que só conseguiu na Justiça. Ele foi emprestado pela Ferroviária, de Araraquara, clube que detém seus direitos.

- Os últimos dias foram bem tensos para tudo finalizar. Havia uma cláusula no contrato, não achamos que seria tão complicado quanto foi. Não tinha como rejeitar o Vasco. Não tem o que falar do tamanho desse clube. Não pensei duas vezes, bati o pé que queria vir para cá. Só queria que tudo terminasse da melhor maneira, porque não poderia perder uma oportunidade como essa - disse Felipe.

Destaque do CRB na Série B, Felipe Ferreira marcou seis gols e deu cinco assistências na competição. Como vinha atuando com regularidade, afirmou que está à disposição do técnico Vanderlei Luxemburgo para enfrentar o Atlético-MG, nesta quarta-feira, em Belo Horizonte.

- Eu já vinha numa sequência boa de jogos. Estou à disposição, vou treinar. Se o professor achar que pode contar comigo, eu estou à disposição.

Veja outros tópicos da coletiva de Felipe Ferreira:

- Sou meia-atacante, vinha jogando como meia, em alguns jogos como atacante. Sou canhoto, gosto de ir por dentro e dar algumas assistências, criar oportunidades. Vinha numa sequência boa de jogos, com bons números, conseguindo ajudar o clube em que eu estava. O torcedor pode esperar muita qualidade e muita dedicação da minha parte.

- Eu entendo a parte do CRB, como a gente vinha fazia um grande campeonato, eu vinha tendo papel importante da equipe. Só queria que tudo terminasse da melhor maneira, porque não poderia perder uma oportunidade como essa. Com o tempo, todo mundo vai ficar mais tranquilo.

- Eu venho jogando mais pelo outro lado, mas também posso atuar pela esquerda. Jogo por dentro, consigo fazer bem as funções da frente. Se a gente ficar sem o Talles, a gente vai sentir, mas eu estou aqui para dar esse auxílio, mais uma opção para o Vanderlei. Espero atender todas as expectativas e ajudar o Vasco.

- Conhecia o Werley e o Fellipe Bastos, trabalhei com eles no Grêmio. Me deixaram bem à vontade. Só tenho a agradecer a eles pelo aporte nesse primeiro dia.

Fonte: GloboEsporte.com