Geovani diz que torcerá pelo Serra contra o Vasco na Copa do Brasil

18/02/2019 às 21h41 - FUTEBOL

Você já deve ter ouvido por aí que o futebol une as pessoas. Esta semana, um personagem ganha os holofotes e se torna o elo entre dois clubes que jamais se enfrentaram e não possuem qualquer sinal que os una - a não ser por ele. O protagonista dessa história é Geovani Silva, ex-jogador e ídolo do Serra e Vasco da Gama, equipes que se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h30, no estádio Kleber Andrade, pela segunda fase da Copa do Brasil.

A carreira de Geovani teve início no começo da década de 1980, quando ele foi revelado pelas categorias de base da Desportiva Ferroviária. Após se destacar com a camisa grená, o capixaba chamou a atenção do Vasco e foi levado para o Rio de Janeiro. Em solo carioca ele virou “O Pequeno Príncipe”, conquistou cinco títulos estaduais, acumulou convocações para a Seleção Brasileira e se tornou um dos principais meio-campistas do futebol brasileiro.

Em 1999, quase vinte anos depois dos seus primeiros chutes como profissional, Geovani chegou ao Serra, equipe que havia se profissionalizado dois anos antes da sua contratação. Pelo Tricolor Serrano, ele conquistou o Campeonato Capixaba e ajudou o clube no acesso à Série B do Brasileiro.

É impossível falar de Geovani e não associá-lo aos dois adversários desta quarta-feira. Ciente da sua importância na história do Vasco e do carinho que o torcedor cruz-maltino nutre por ele, o ex-jogador deixou o bairrismo “falar mais alto” e garantiu ter um lado.

- Infelizmente como vascaíno, eu peço desculpas aos vascaínos, porque eu joguei muito tempo no Vasco e pouco no Serra, infelizmente os vascaínos vão ficar tristes comigo, mas eu vou torcer para o Serra. O Serra é futebol capixaba, e o futebol capixaba precisa se reerguer. O Vasco já tem uma estrutura financeira gigantesca, e o Serra está começando a crescer. Eu estou sendo bairrista. O ideal seria ficar empatado e se classificar os dois, mas como não tem jeito, vou torcer para o Serra, até porque uma classificação ressuscitaria o futebol capixaba.

“Minha melhor fase”

Pelo tempo que atuou com a camisa cruz-maltina, até mesmo pela visibilidade que a equipe carioca tem, a grande trajetória de Geovani pelo Vasco é do conhecimento de todos. O que muitos não sabem é a bola que o capixaba, com 35 anos à época, jogou quando esteve defendendo as cores do Serra.

A passagem de Geovani pelo clube capixaba durou apenas um ano, tempo necessário para que ele contribuísse para o primeiro dos seis títulos capixabas da história do Serra. Além das conquistas coletivas, o Pequeno Príncipe foi eleito para a seleção do estadual e participou da histórica campanha que levou o Tricolor Serrano para a Segunda Divisão nacional.

As conquistas coletivas passam diretamente pelo ex-meia, que garante ter vivido a sua melhor fase no clube capixaba.

- No meu modo de enxergar futebol, a minha melhor fase foi na reta final da minha carreira, com 35 anos, quando fui campeão capixaba e ajudei o Serra a subir para a Série B. Essa foi a minha melhor fase no futebol. Se iguala a muita coisa que fiz no Vasco, porque no Vasco eu fui bem e fui pra Seleção Brasileira. Acredito que pela bola que joguei no Serra, tranquilamente estaria na Seleção. Se eu tivesse jogado no Vasco o que eu joguei no Serra aquele ano, eu acredito que seria convocado.

O Vasco chega para o confronto desta quarta-feira embalado após o título da Taça Guanabara sobre o Fluminense no último domingo. Há 20 anos, assim como nesta temporada, o Serra fez história ao vencer o mesmo Tricolor Carioca por 2 a 1, dentro do Maracanã.

Autor de um dos gols da vitória sobre o Fluminense, o meia Joelson, que iniciava a sua trajetória profissional em 1999, voltou para o Serra há dois anos e, aos 38 anos, é uma das opções do técnico Cleiton Marcelino para a partida contra o Vasco.

Conhecedor da qualidade do ex-companheiro, Geovani torce para que Joelson renda um pouco do que rendeu durante aquela partida contra o Flu.

- Espero que ele jogue pelo menos metade do que jogou para que o Serra vença a partida (risos).

Simplicidade

Além de revelar a sua torcida para o Tricolor Serrano, Geovani acredita que a receita para uma vitória da equipe capixaba passa pela concentração e simplicidade.

- É entrar ligado do início ao fim e tentar ser o mais simples possível. Em um jogo grande, querer fazer coisas difíceis atrapalha. É tentar ser simples, porque o simples é bonito. Colocar isso em prática é difícil, mas não é impossível.

Por conta do regulamento, o Serra não vai poder mandar a partida dentro do seu estádio, o Robertão. Acostumado com o gramado e a dimensão do campo, a mudança para o Kleber Andrade pode ser visto como uma vantagem para o Vasco. Mas não é dessa forma que Geovani enxerga.

- Não será negativo, acredito que será positivo, porque terá casa cheia e o gramado é bom. Quem está nesta fase não tem que estar preocupado com o local do jogo, tem que estar preocupado se o campo é bom. Todos os jogadores gostam de jogar em campo e casa cheia - analisou.

Copa do Brasil 2019

O Serra entra em campo nesta quarta-feira, às 21h30, no estádio Kleber Andrade, em Cariacica, quando enfrenta o Vasco pela segunda fase da competição nacional. O GloboEsporte.com acompanha a partida em Tempo Real.

Fonte: GloboEsporte.com