Grupo ArquibaVasco publica análise sobre balanço de 2018 do Vasco

04/05/2019 às 10h51 - CLUBE

ArquibaVasco 

ANÁLISE SOBRE O BALANÇO 2018 

Na última terça-feira, 30/04/2019, foram divulgadas as Demonstrações Financeiras do Club de Regatas Vasco da Gama referente ao período findo em 31/12/2018, posto isto, nos sentimos na obrigação de tecer alguns breves comentários sobre o documento, conforme descrito abaixo. 

1) Apesar do superávit de R$ 64,9 milhões apresentado no período, entendemos que este resultado está fortemente impactado pela venda do atacante Paulinho ao Bayer Leverkusen, uma receita não recorrente, visto que não é todo ano que efetuamos uma venda de jogador nestes valores e não há perspectiva para novas vendas em cifras similares. 

2) O Clube apresentou uma capacidade pífia de geração de novas receitas, e em se tratando de receitas recorrentes [que se podem estimar com razoável precisão (bilheteria e receitas de marketing como ST e patrocínios)] o Clube só ficou à frente do Botafogo FR. A Administração justificou o cenário alegando que há espaço para crescimento. O Grupo ArquibaVasco demonstra grande preocupação em como o Clube poderá conquistar o torcedor e o mercado na figura do Presidente Alexandre Campello, que desde o princípio vem demonstrando atitudes controversas e contrárias à maioria dos sócios, sócios torcedores e torcedores vascaínos espalhados pelo Brasil. Entendemos que somente com confiança e trabalho em conjunto com a torcida o Clube poderá mudar de patamar neste sentido. 

3) O parecer da auditoria externa contratada (BDO RCS Auditores Independentes) foi apresentado com 03 (três) ressalvas, sendo uma significativamente relevante no valor de R$ 32 milhões, referentes a depósitos judiciais onde a empresa informou que não foi possível realizar procedimentos de auditoria. Ou seja, do total do ativo do clube (R$224 milhões), aproximadamente 15% não foi auditado, e desta forma não é possível afirmar que estes valores existem e/ou estão corretos. 
Apenas para fins de comparação, no ano anterior (2017) por exemplo, dentre os 12 grandes clubes do país, apenas o Santos FC apresentou ressalva no parecer da auditoria independente. 

4) Além dos pontos acima, nos sentimos desconfortáveis em observar que os percentuais dos jogadores Luan (40%) e Paulinho (10%) apresentaram percentual 0 em 2018. A Administração afirmou se tratar de um erro de digitação, aguardamos a retificação. 

Apesar dos pontos negativos expostos acima, gostaríamos de ressaltar que entendemos ser louvável o trabalho efetuado pelas pastas de controladoria e finanças. Sabemos do esforço empregado e da dificuldade na condução, principalmente em razão da personalidade centralizadora do Presidente do Clube. Entendemos que o caminho para sairmos do asfixiamento financeiro é a profissionalização e ficamos satisfeitos com os resultados apresentados referentes à renegociação de dívidas. 

Por fim, cabe ressaltar que é de suma importância a Diretoria Administrativa ter ciência da tragédia que um novo rebaixamento representaria, afetando todo o trabalho e planejamento apresentado na Carta da Administração. Por isso, exigimos (nos posicionaremos em breve sobre o futebol) uma reestruturação e nova condução no crítico Departamento de Futebol do Clube. 
Sem mais o que expor momentaneamente, 

ArquibaVasco. 

Torce, Viaja e Vota. 

Fonte: Facebook ArquibaVasco