Grupos fizeram pedidos ao presidente Alexandre Campello; Confira quais

08/05/2018 às 08h17 - POLÍTICA

A segunda-feira (8) foi de reuniões e decisões sobre o futuro político do Vasco da Gama. Em um local, líderes de grupos de oposição tomaram a decisão de que não vão se isolar: qualquer decisão, seja política ou sobre participação na gestão atual do clube, será tomada em conjunto. Do outro lado, medalhões políticos do Cruz-Maltino se reuniram com Campello e garantiram apoio no conselho em caso de um possível impeachment. 

REUNIÃO DOS GRUPOS 

Os sete principais líderes dos grupos de oposição se reuniram. São eles: Sempre Vasco, Cruzada, Confraria Vascaína, VascoMed, PetroVasco, Vascão Gigante e Guardiões da Colina. A discussão foi sobre discutir convites para cargos do atual presidente (Alexandre Campello) para ocupar as pastas deixadas pelos 13 ex-vice-presidentes ligados à Identidade Vasco, além de saber se o grupo apoiaria politicamente Campello no Conselho de Beneméritos, já que especula-se a possibilidade de um impeachment. 

Em conjunto, os grupos decidiram que, a princípio, só vão aceitar algum cargo oferecido por Alexandre Campello caso a situação seja avaliada pelo conselho do grupo, entendida que vai ser benéfica para o Cruz-Maltino e, aí então, uma autorização acontece. Até o momento, nenhum cargo foi oferecido aos grupos. Porém, também ficou decidido que a Sempre Vasco e seus aliados serão a favor do presidente em caso de um possível impeachment com conteúdo político. A única chance de isso não acontecer é se forem provadas irregularidades ou fraudes por parte de Campello. Neste caso, o posicionamento pode mudar em prol do "bem do Vasco". 

REUNIÃO DOS MEDALHÕES 

Alexandre Campello tenta se blindar de um processo de impeachment e, nesta noite, após se reunir com Fernando Horta, José Luis Moreira, José Carlos Osório, Carlos Osório, Jorge Salgado, Paulo Angioni, Antônio Peralta, Otto de Carvalho, Manoel Moutinho e Mussa, conseguiu. A decisão dos beneméritos e medalhões da política do Vasco, que exercem grande influência no Conselho, foi unânime e decidiu por apoiar politicamente o presidente do Vasco.

Julio Brant, principal nome da oposição vascaína, não esteve presente por não ter sido convidado. Porém, Carlos Osório, que foi aliado dele nas eleições em 2017, representou a Sempre Vasco. 

E AS VICE-PRESIDÊNCIAS? 

Há um impasse no Vasco da Gama. Sem seus principais aliados após o racha com o grupo Identidade Vasco, de Roberto Monteiro, Alexandre Campello busca preencher as vagas. Porém, esbarra na posição dos grupos liderados e ligados à Sempre Vasco, que decidiram não participar da gestão, pelo menos a princípio. 

Para conseguir com que tenha "livre acesso" a membros desses grupos liderados pela Sempre Vasco, Alexandre Campello terá que atender a uma série de "exigências" que foram conversadas na reunião dos medalhões. Entre elas: ser a favor da investigação do HD, (que contém os dados dos sócios e pode comprovar fraude nas últimas eleições; Campello vai consultar o VP jurídico do clube, Rogério Peres, sobre o disco antes de tomar decisões) pedido dos grupos e dos beneméritos, não aprovar a reforma proposta pelo estatuto e colocar uma empresa de confiança no setor de cadastro e secretaria do Vasco para evitar futuros mensalões. 

Ou seja: nenhum cargo vago foi definido ainda. Porém, caso atenda aos pedidos, Campello terá a opção de buscar nomes para ocupar as vice-presidências com pessoas que conhece (como já tentou nesta semana, ao buscar um médico da VascoMed, de forma isolada, para assumir a VP médica, e teve convite negado), ou colocar outras pessoas na diretoria. Neste momento, está tudo aberto. 

ENTREVISTA COLETIVA 

Nesta terça-feira, o presidente Alexandre Campello vai conceder entrevista coletiva em São Januário, às 12h (de Brasília), para falar e esclarecer sobre as acusações que sofreu dos ex-vice-presidentes. 

Esporte Interativo

Fonte: Esporte Interativo

Enquete

Quem você gostaria que fosse o novo técnico do Vasco?

Deixe seu comentario