Guardiões da Colina pede convocação do CoDe para explicações sobre o Profut

12/02/2020 às 08h55 - POLÍTICA

78 ASSINATURAS PARA ESCLARECIMENTOS SOBRE PROFUT

O Guardiões da Colina conhece e reconhece o perfil político do Conselho Deliberativo do CRVG, característica que não é exclusiva do nosso Clube, muito pelo contrário, é bastante comum. Essa realidade não nos conduz ao destino fatal de tudo ser por e pela política, os nossos Conselheiros atuam cientes das atribuições e responsabilidades, que entre elas estão representar os interesses dos sócios e torcedores do Vasco, fiscalizar aplicação dos recursos do Clube, e tomar as medidas cabíveis quando alguma irregularidade é encontrada.

Imbuídos desse espírito que nos fazemos presentes e decidimos nossas ações no âmbito do Conselho Deliberativo, não sem antes estudar o tema da pauta e consultar especialistas, e assim não foi diferente em especial nas reuniões de:

- 08.11.2018, quando reprovamos o balanço de 2017, do último ano da gestão do Eurico Miranda, por apresentar ressalvas que se arrastam de exercícios anteriores.

- 26.12.2019, quando nos abstivemos de votar a proposta de orçamento para 2020, considerando que a peça orçamentária só foi entregue aos Conselheiros com apenas 12 horas de antecedência da reunião, impedindo avaliação minimamente detalhada, criteriosa, e técnica.

- 06.02.2020, quando reprovamos o balanço de 2018 que trouxe as mesmas ressalvas do de 2017, denotando o total desinteresse da direção em ajustar os lançamentos ressalvados, consolidando a reincidência das inconsistências, em que pese o tempo transcorrido e os pedidos de esclarecimentos e documentos comprobatórios feitos há 10 meses pelo Conselho Fiscal.

Por meio da nossa nota de 17.01.2020 tratamos de fatos que vieram a público no mês de dezembro/2019, com destaque para a não quitação das parcelas do PROFUT desde fevereiro de 2019; a postura do presidente Campello na reunião de análise da proposta do orçamento de 2020; as declarações dele após votar pela aprovação do orçamento de que não concordava com as previsões, especialmente em relação aos gastos do Departamento de Futebol; os desligamentos em sequência do vice-presidente de finanças, João Marcos Amorim, e do Adriano Mendes, o então, dito pelo presidente Campello, vice-presidente de controladoria; e, a reportagem do jornal Lance noticiando que a Tesouraria liberava os recursos necessários ao pagamento das parcelas do PROFUT, que acabaram não sendo utilizados para esse fim determinado.

Diante desse cenário, principalmente a inadimplência com PROFUT que tem potencial de decretar a inviabilidade econômico-financeira do Vasco, somente revelada após a vir a público penhora realizada no valor de R$ 22 milhões pela União Federal, não havia como ficarmos inertes a essa grave exposição ao risco e fortes indícios de descontrole das finanças do Clube.

O Guardiões firme na nossa coerência, concentrado na análise técnica, independentemente de quem esteve ou está a frente da gestão do Clube, e em busca da transparência e da excelência, conforme adiantamos na nossa nota de 17.01.2020, nos mobilizamos e conseguimos resgatar 78 assinaturas na carta de solicitação de convocação do Conselho Deliberativo, requerendo explicações sobre o PROFUT, sendo a carta protocolada no dia de hoje.

Fonte: Facebook Guardiões Da Colina