Identidade Vasco emite nota sobre reunião do Conselho Deliberativo

04/06/2019 às 20h21 - CLUBE

O grupo Identidade Vasco informa aos vascaínos que, na reunião do Conselho Deliberativo ocorrida no dia 03 de junho de 2019, apresentou e defendeu a proposta de instauração de uma Comissão de Sindicância para apurar a gestão temerária da atual administração liderada pelo presidente da Diretoria Administrativa, Alexandre Campello.

A proposta foi submetida à votação, sendo que 105 conselheiros votaram contrários à abertura da Comissão de Sindicância e 97 votaram pela investigação.

Todos os 48 conselheiros do Grupo Identidade Vasco presentes votaram a favor da Comissão de Sindicância e fizeram questão de consignar seus votos em ata através do recurso da Declaração de Voto.

Se tal comissão de inquérito fosse instalada existiria o direito inalienável de ampla defesa. Mesmo assim, não temos dúvidas, ela iria abrir a caixa-preta da administração e suas estranhas transações, resultando inevitavelmente no afastamento do atual presidente e na possibilidade de salvar o Vasco do completo desastre para o qual caminha em passos céleres.

A prova de que muita coisa viria à tona foi o desespero de Alexandre Campello diante da possibilidade de investigação. Inúmeros porta-vozes oficiais e oficiosos do atual presidente interpuseram recursos na justiça até a véspera do horário marcado para o início da Reunião querendo impedir o Conselho Deliberativo de cumprir sua função.

Derrotada em todas as tentativas judiciais, a diretoria usou um variado leque de manobras e chantagens nos bastidores. Em seu discurso diante do plenário de conselheiros, Campello entrou em pleno surto psicótico: ofendeu raivosamente os proponentes e delirou: “o Vasco tem uma gestão cujas marcas são a eficiência e a competência”, “temos a melhor gestão de informações do Brasil”, “nosso superávit de mais de 64 milhões foi possível graças ao planejamento rigoroso”.

Nenhuma palavra sobre as acusações que embasavam a denúncia das 200 demissões e dos acordos não honrados. Campello só faltou dizer que, na verdade, estamos em primeiro lugar no campeonato brasileiro e que os atrasos salarias, as constantes penhoras por dívidas não pagas e os recorrentes pedidos de empréstimo tendo como garantia as cotas de TV são mentiras divulgadas pelo Identidade Vasco e por Roberto Monteiro. Ao final do discurso o presidente foi brindado com pouquíssimos aplausos e por uma vaia sonora e praticamente unânime.

Os votos pelo “não” se dividiram em três motivações, não se sabe qual a mais poderosa. Votaram pelo não:

1) Os que temiam que, aberta a comissão de sindicância, isso levasse o clube a um caos por falta de comando (afinal, até a possibilidade de renúncia coletiva foi “vazada” pela administração).

2) Os que querem deixar o “Campello sangrar” para ter um adversário fácil de ser batido em 2020, não importa que isso signifique ver o Vasco na segunda divisão e totalmente inviabilizado financeiramente.

3) Os que priorizam acima de tudo a manutenção de seus interesses pessoais por cargos e outras vantagens inconfessáveis. Sem falar naqueles que, momentaneamente afastados de cargos e boquinhas, sonham com a oportunidade de voltar a esta doce vida.

Ou seja, nenhum dos motivos da vitória do “não” refere-se a um inexistente mérito da administração Campello ou a uma ainda mais inexistente confiança em sua administração. Quando ao primeiro item, embora expresse uma preocupação legítima, é espantoso que não se perceba que o Vasco JÁ VIVE UM CAOS. É o tipo de raciocínio que levaria a tripulação de um avião que está caindo, pois constatou-se que o piloto está bêbado, a não substituir o piloto pois, afinal, “ele é o piloto”. Alguns dos conselheiros que agem assim estão impregnados por uma longeva e triste tradição da política vascaína, de não apurar desmandos e desvios, de “deixar como está, para ver como é que fica”.

O Identidade Vasco ajudou a eleger Alexandre Campello. Com apenas três meses de mandato percebeu o tremendo erro que foi cometido, entregou todos os cargos que tinha na administração e passou a alertar os sócios e torcedores sobre de que forma o clube estava sendo conduzido.

Fazemos um apelo à torcida diante do resultado da reunião do Conselho Deliberativo, que representou mais uma derrota do Vasco: não abandone o time. Ao contrário do que pensam alguns, o Vasco é muito maior do que sua eventual diretoria. Temos que comparecer aos jogos, nos associar e impedir no grito que o Vasco caia.

Não desistam do Vasco. Nós, do Identidade Vasco, não desistiremos.

Fonte: Facebook Identidade Vasco