Ídolo vascaino, Jaguaré foi o 1° goleiro brasileiro na história do Barcelona

27/06/2019 às 15h38 - CLUBE

O Barcelona anunciou a contratação do goleiro Neto, que defendia a meta do Valencia nas últimas duas temporadas, por um total de 35 milhões de euros (26 milhões + 9 milhões de bônus) - cerca de R$ 152 milhões - e confirma a troca por Jasper Cillessen, já que o valor é exatamente o mesmo, a diferença é que o pagamento pelo goleiro holandês ocorrerá sem bônus. 

Neto assinou pelos próximos quatro anos e terá uma rescisão contratual no valor de 200 milhões de euros - cerca de R$ 874 milhões -, mesmo tendo sido contratado para ser reserva de Marc-André Ter Stegen. Com isso, o time catalão oficializa sua segunda contratação da temporada, após Frenkie de Jong, do Ajax. 

O goleiro chegou ao Valencia em 2017, e participou de 80 jogos. Com 29 anos, o jogador foi revelado pelo Athletico Paranaense, e foi para a Itália em 2011, tendo passado por Fiorentina e Juventus, antes de chegar aos Los Che. Ele ainda atuou nos Jogos olímpicos de 2012, em Londres. 

Mas Neto não será o primeiro goleiro brasileiro a defender as cores azul-grená. 

Em 1931, o Vasco foi o primeiro clube do Rio de Janeiro a fazer excursões pela Europa. O primeiro adversário foi exatamente o Barcelona, que venceu por 3 a 2. Mas no outro dia veio a revanche, vitória por 2 a 1 do Cruzmaltino. 

Depois de encantar as plateias europeias, o clube carioca voltou sem dois atletas, que despertaram a atenção do Barça, que os contratou. Um deles foi o volante Fausto Dos Santos, que ganhou o apelido de ‘Maravilha Negra', depois de jogar muita bem na Copa do Mundo de 1930. 

O outro foi Jaguaré Bezerra de Vasconcelos, um 'excepcional' goleiro, segundo relatos da época. Fato curioso é que antes de ser jogador, Jaguaré era estivador, que é um trabalhador portuário que recebe a carga de um navio, e em seguida a arruma no porão ou a descarrega. 

Ele era conhecido por seus malabarismos com a pelota. E Irritava os adversários com suas defesas. 

"Em um jogo pelo Vasco contra o América, Jaguaré quase mata o atacante Alfredinho de raiva. Primeiro, defendeu um chute do atacante americano somente com uma das mãos. Depois atirou a bola na cabeça do atacante para fazer nova defesa. Com tantas 'molecagens', nada mais natural que os estádios enchessem com torcedores atraídos pela fama de Jaguaré', diz um depoimento do site do Vasco. 

Porém, na Europa, suas brincadeiras não eram muito aceitas, e como jogadores de outros países não podiam disputar campeonatos oficiais na Espanha, o goleiro acabou jogando somente 16 amistosos na equipe blaugrana. Uma opção era a naturalização espanhola, mas ele e Fausto não quiseram. 

Quando voltou ao Brasil, ficou conhecido por ser o pioneiro a usar luvas no gol. Inovação que ele trouxe depois de passar pela Europa. 

Fonte: ESPN