Interesse do futebol inglês sobre Talles pode abrir portas para brasileiros

09/05/2020 às 09h50 - FUTEBOL

Com um escritório em Alphaville, bairro nobre de São Paulo, a YMU Group há seis meses trabalha vislumbrando um futuro próximo no qual os clubes da Premier League partirão com tudo atrás de jogadores do outro lado do Oceano Atlântico. A saída do Reino Unido da União Europeia provavelmente terá consequências no futebol. Uma delas é justamente onde o futebol brasileiro está inserido e poderá se beneficiar.

A empresa, responsável pelo agenciamento de aproximadamente 800 carreiras, entre atletas, músicos e atores, aposta que a procura por talentos brasileiros crescerá substancialmente a partir do momento em que jogadores de países da União Europeia e britânicos deixarem de serem considerados integrantes de uma mesma região. A ideia foi se antecipar ao fato para sair na frente quando e se essa demanda maior surgir.

Sinal de prestígio

Explica-se: com o Brexit, é previsto um aumento nas restrições para a concessão de visto de trabalho aos jogadores europeus não britânicos, além do fato de passarem a contar como estrangeiros nos elencos ingleses. Se, nos moldes atuais, é mais fácil para o clube inglês contratar um espanhol ou um francês, depois da saída da União Europeia, a tendência é que a dificuldade se torne a mesma que existe hoje para a transferência de um brasileiro. Neste caso, o apelo do futebol pentacampeão pode prevalecer.

— Sabemos que o jogador brasileiro tem a habilidade nata e isso existirá pelo resto da vida. Se você analisar os times nas cinco primeiras colocações da Premier League (Liverpool, Manchester City, Leicester, Chelsea e Manchester United), apenas o Leicester não tem brasileiro como titular. Esse é o sinal de prestígio do futebol brasileiro — afirmou Emmanuel Adewole, brasileiro, filho de nigerianos, responsável pela operação da YMU na América Latina.

Já são 11 jogadores brasileiros com a carreira agenciada pela empresa britânica, na expectativa de migrarem em algum momento para a liga nacional mais rica do planeta. Além do prestígio que o jogador nascido no Brasil possui, a parte financeira também poderá pesar a favor das contratações junto a clubes filiados à CBF. Uma vez que as condições legais e burocráticas sejam as mesmas, tanto para brasileiros quanto para europeus não britânicos, a desvalorização do real frente à libra torna o negócio altamente atrativo para os ingleses.

— O fator financeiro sempre foi e sempre vai ser um motivo de atração do mercado brasileiro. Uma libra hoje equivale a cerca de sete reais. Um jogador que custe R$ 10 milhões sairá por 1,4 milhões de libras, o que é considerado um valor bem acessível — explicou Adewole, para ressaltar em seguida: — O clube brasileiro nunca fala o preço real, ele dá um preço como se estivesse na Europa também. Ainda assim, vale a pena o investimento. O clube inglês sempre pensa: “vai que é o novo Neymar?”

Outra mudança pode ser a busca cada vez mais frequente por jogadores brasileiros mais jovens, uma vez que, ao sair da União Europeia, os clubes ingleses deverão perder o direito de contratar europeus com menos de 18 anos, restrição que existe atualmente para o atleta nascido fora da Europa, o que inclui o Brasil.

Talles Magno cotado

Para o empresário da YMU, casos como o de Douglas Luiz, contratado pelo Manchester City junto ao Vasco em 2017 e que teve o visto de trabalho na Inglaterra negado por duas temporadas até conseguir atuar pelo Aston Villa, serão cada vez mais raros depois do Brexit. Com mais dificuldades para contratar europeus, o futebol inglês deverá diminuir o rigor das regras para assinar com não europeus para seus clubes não perderem competitividade no cenário continental.

A expectativa de Adewole era de que esse cenário de maior procura por jogadores brasileiros já ficasse mais claro na janela de transferências deste ano, o que pode não se confirmar, segundo ele, por causa da pandemia da Covid-19 e o cenário de incertezas que ela trouxe para o futebol e para as finanças dos clubes.

De qualquer forma, a presença brasileira na Premier Legue cresce aceleradamente antes mesmo do Brexit. O aumento de jogadores que atuam no futebol inglês nas convocações da seleção brasileira é um exemplo — para a última Copa América, foram sete que disputam a Premier League, liga nacional estrangeira que mais teve representantes no grupo campeão.

Mais recentemente, quem tem sido especulado na Inglaterra é o atacante Talles Magno, do Vasco. De acordo com a imprensa britânica, o Liverpool está interessado na contratação da revelação de 17 anos.

Fonte: Globo Online