Jair Bragança e Gaúcho exaltam bom ano dos Juniores e querem o titulo da Cop

27/12/2008 às 11h17 - CATEGORIAS DE BASE

Se o ano da equipe profissional do Vasco foi abaixo da crítica, o torcedor cruzmaltino pode encontrar um alento nos juniores do clube. O ano não foi excepcional, mas o bom Campeonato Carioca, as quartas-de-final na Taça BH e as semifinais Torneio OPG aumentaram as esperanças nos futuros jogadores da Colina. Para o coordenador das divisões de base, Jair Bragança, o balanço de 2008 para os juniores foi positivo.

”Eu acredito que o balanço do ano do Vasco foi positivo. Tivemos uma boa participação no Campeonato Carioca, depois na Taça BH também fomos bem. Na Taça OPG fomos até as semi. Agora, além disso, revelamos cinco jogadores, o que é o principal do trabalho”, analisa.

Ao ser perguntado sobre os destaques dos juniores, o técnico Gaúcho, que assumiu o comando do futebol Junior em setembro, preferiu não analisar profundamente, pois está no clube a muito pouco tempo. Entretanto, o treinador citou alguns nomes com muito potencial para o futuro.

”Tem vários bons jogadores nascidos em 90/91. O Carlinhos (lateral), o Éder, (atacante) o Carlos (atacante) e o Wesley (zagueiro), por exemplo, são jogadores com grande potencial. Entretanto, eu estou só a dois meses comandando o Junior do Vasco então eu não posso fazer uma análise mais profunda sobre os jogadores”, ressalta.

O Coordenador Jair Bragança, por sua vez, fez questão de destacar o trio de zagueiro dos juniores. Apesar de saber que o sistema defensivo é um problema crônico do time profissional do Vasco, Jair afirmou que, mesmo sendo jogadores muito bons, eles ainda são muito jovens e, por isso, não devem ser tratados como a solução para o problema de zagueiros do Gigante da Colina.

”Eu destacaria também o trio de zagueiros, formado pelo João Paulo, Junior e Marcelo. Eles são jogadores muito técnicos, rápidos, com boa saída de bola e que se completam. Eu não posso afirmar se resolveriam o problema defensivo do Vasco até porque são muito jovens, mas são muito bons”, diz o coordenador.

Apesar do pouco tempo de casa, Gaúcho já sabe de cor os nomes das estrelas do juvenil, que, ano que vem, serão integrados ao grupo dos juniores.

“Nós temos vários jogadores vindo do juvenil com muito potencial. O Phllipinho é um jogador excelente. Outro destaque é o atacante Willen. No entanto, eles ainda precisam se preocupar mais com a parte física.”, ressalta.

O treinador foi um dos nomes escolhidos por Dinamite para fazer uma mudança radical nas divisões de base do Vasco. Gaúcho comentou o estado em que estavam as divisões de base vascaínas quando assumiu. Segundo ele, neste sentido, o Vasco se encontrava frágil e os jogadores não eram tratados como atletas.

”Quando eu cheguei aqui, eu encontrei uma divisão de base frágil. Não havia qualquer avaliação física e os jovens não eram tratados como atletas. Neste sentido, o Vasco era uma bagunça. Sem querer desmerecer o trabalho anterior, mas as divisões de base vão passar por uma mudança acentuada. A cobrança será bem maior”, afirma.

E essa cobrança já será posta em prática na Copa São Paulo de Juniores. Sonhando alto, Gaúcho não quer nada menos que o título

”O objetivo principal é a Copa SP. A expectativa é o título e, pode ter certeza, que a cobrança será alta também. Até porque eu sou torcedor do Vasco e, portanto, eles vão ter que me enganar duas vezes, enganar o técnico e o torcedor Gaúcho”, brinca.

Fonte: Jornal dos Sports