Jairinho: 'Deus me colocou ali e hoje estou aqui no Vasco da Gama'

06/05/2019 às 08h04 - FUTEBOL

Foram só 15 minutos no fim do segundo tempo no empate por 1 a 1 do Vasco com o Corinthians, mas Jairinho cumpria parte de um sonho que esteve muito longe de se tornar realidade até bem pouco tempo. Antes de voltar ao futebol na Série C do Campeonato Carioca pelo Campo Grande em 2017, Jairo Santos de Oliveira Filho fez o que pôde para sustentar a família.

Ele mesmo conta que as lesões e a desilusão com o futebol o fizeram desistir da carreira. Foram quase cinco anos sem jogar futebol profissionalmente até colocar os pés em campo em Manaus, na estreia, aos 28, na Série A do futebol brasileiro.

- É uma emoção grande. Venho trabalhando forte durante a semana e quando corri aquele pedacinho do campo para entrar o coração bateu forte. Graças a Deus foi o dia da minha estreia no Brasileirão. É muito maravilhoso, de verdade. Sei que todo trabalho que fiz nesses dois anos estava sendo reconhecido, pelo fato de subir de divisão, chegar até o Bangu e hoje estar aqui. Presente muito grande para mim. Mas todo trabalhador é digno de seu salário, então creio que meu esforço está dando fruto - afirma Jairinho.

Com sorriso aberto e olhar para o céu, em forma de agradecimento, o ponta do Vasco, que está emprestado pelo Bangu até o fim do ano, relata um pouco da trajetória até chegar a São Januário.

- Fiquei meio desiludido com o futebol por conta de lesões e também porque minha filha tinha nascido e eu precisava sustentar a mim e a minha família. Eu larguei o futebol e trabalhei de diversas coisas. Fui auxiliar de limpeza, trabalhei no sacolão, de pedreiro, mas tive desejo no meu coração de voltar. Deus me colocou ali e hoje estou aqui no Vasco da Gama, podendo dar felicidade a essa torcida maravilhosa.

Sobre a sequência na competição, Jairinho procura espaço pelas beiradas, como em campo. Ganhou elogios do técnico Marcos Valadares, que o orientou bastante antes de entrar em campo.

Valadares destacou a personalidade de Jairinho, que desarmou na defesa e driblou com desenvoltura quando teve a bola nos pés. Sem se intimidar na noite da estreia pelo Vasco.

O jogador luta por espaço para crescer no clube. Ele se vê preparado para atuar por mais tempo e disputar vaga de titular no time vascaíno.

- Creio que eu estou bem. Joguei três jogos contra o Vasco e fui até o final. Espero agora a oportunidade de jogar mais um tempinho - comentou o ponta.

Fonte: GloboEsporte.com