João Pedro e Lucas Santos é uma dupla para a torcida sonhar

06/07/2019 às 13h48 - CATEGORIAS DE BASE

Comentei quinta-feira para este GloboEsporte.Com o jogão entre Grêmio e Vasco, pela segunda rodada do Brasileiro sub-20. Dois times com uma característica recente comum: boa temporada, mas sem conquista. O tricolor tinha jogado 30 partidas e perdido apenas duas (as que o eliminaram da Copinha e da Copa do Brasil da categoria, ante Corinthians e Palmeiras), saiu invicto do Gaúcho (mas eliminado nos empates com o rival Inter). O Vasco chegou a finais na Copinha (o que é um feito e tanto) e da Taça Guanabara, mas não levou nenhuma taça. Mas os cariocas ganharam a segunda seguida no Brasileiro porque têm uma dupla infernal, que logo dará muitas alegrias aos sofridos torcedores vascaínos: Lucas Santos e João Pedro.

Eles são, de fato, diferentes da média. E têm características distintas, mas que se completas. Se o Vasco quer acelerar o jogo, ou se o adversário está muito fechado, bola no Lucas Silva. Arisco, rápido, driblador em espaço reduzidíssimo, e ainda por cima chuta bem. Se a ideia é um jogo mais pensado, uma virada de jogo, posse de bola, condução em zigue-zague, tudo isto é com João Pedro, a quem considera mais pronto - opinião como a de Vanderlei Luxemburgo, que já andou puxando João para os profissionais.

No jogo, o Vasco não levou em conta o fato de jogar na casa do Grêmio. O time se impôs, com uma marcação muito intensa, roubando bolas. A parelha de beques do Vasco, Ulisses e Miranda (também já puxados volta e meia por Luxa), jogava praticamente na linha divisória. Faltou mais capricho na conclusão e no último passe. E quase que isso que faltou custaria caro ao Vasco. No último lance do primeiro tempo, o lateral Alexandre Melo foi obrigado a cometer um pênalti, que Fábio converteu.

Imaginava-se que o Grêmio voltaria mais tranquilo do intervalo, que o Vasco poderia sentir o golpe. Nada disso. O bom time de Marcos Valadares continuou atacando de maneira consistente, e até mais contundente com a entrada do impetuoso Vinicius. Com menos de dez minutos conseguiu o empate. Alexandre Melo se redimiu e acertou uma pancada de longe. Teve, sem dúvida, a ajuda feia do goleiro gremista Adriel, que foi querer segurar a bola, em vez da segurança de mandá-la a escanteio - e viu-a escorrer por entre os dedos e morrer na rede.

O Grêmio teve uma única chance em todo o segundo tempo. O problema do Vasco é que o time tinha a bola, rondava, era insinuante, mas não conseguiu uma boa situação para concluir. Até que surgiu aquela tal dupla a que me referi mais acima. Depois de uma saída de bola de pé em pé, ela chegou pelo meio a Lucas Santos. Ele girou na direção da área, e deu o passe açucarado na direita para João Pedro bater - de direita, que não é a preferida - para virar o jogo e vencer.

Depois de ver, com apreensão, os rivais Flamengo e Fluminense revelarem belos atacantes recentemente, os vascaínos já podem sonhar com um belo ataque no profissional em pouco tempo.

Fonte: Blog Entre as Canetas- Sportv.com