Jogadores aumentaram o tom de insatisfação com salários atrasados

22/05/2020 às 08h05 - FUTEBOL

Com a proximidade da eleição, já há até mesmo candidato anunciando acerto com o marfinense Yayá Touré, mas a realidade do clube sob o comando de Alexandre Campello, por enquanto, está longe do glamour. O recorrente problema dos salários atrasados no Vasco se tornou mais nebuloso com a chegada da pandemia do coronavírus e a consequente incerteza de quando a situação irá melhorar só agravou o cenário. Por conta disso, o nível de tolerância chegou ao limite entre jogadores e funcionários.

Até o fim do ano passado, mesmo com todos os problemas, os atletas evitaram o caminho da Justiça do Trabalho e não buscaram um litígio unilateral do contrato. Porém, sem qualquer previsão de melhora nesta temporada, muitos já desabafam às pessoas próximas que estão cansados.

Atualmente, o Vasco deve ao atual elenco quatro meses a uns e três a outros, só que a situação se torna ainda mais dramática para os jogadores emprestados.

O UOL Esporte conversou com empresários e gestores de carreira e foi informado de que alguns destes que estão cedidos a outros clubes chegam a ter mais de seis folhas em aberto, sendo que dezembro e janeiro — que teoricamente foram pagos — contemplam somente os "dias trabalhados". Além disso, os direitos de imagem não são quitados há quase um ano.

"Esquece isso [direitos de imagem]. Já vai fazer aniversário. Tem jogador do Vasco que não recebeu um tostão ainda. Não sei nem se vão pagar. Infelizmente, não dá para duvidar nada em termos de Vasco", afirmou um dos personagens ouvidos pelo UOL Esporte.

A reportagem procurou o Vasco e o informou da situação, e teve a seguinte resposta: "a dois deles [emprestados], o Clube ainda deve uma folha de 2019. Os outros estão na mesma página que os que seguem no Clube".

Recentemente, a diretoria conseguiu angariar um montante insuficiente para cobrir a folha inteira de janeiro. Então, os líderes do elenco decidiram por solicitar que o pagamento fosse priorizado aos atletas que recebem até R$ 50 mil.

Funcionários passam necessidades

O caso dos funcionários chega a ser mais grave. Sem os altos salários da maioria dos atletas, eles enfrentam necessidades básicas, sendo que alguns já não possuem mais condições de trabalhar, caso dos professores do Colégio Vasco da Gama, que emitiram uma carta informando que não enviariam o material didático online do próximo bimestre aos alunos uma vez que, alguns deles, já não tinham mais dinheiro nem para pagar a internet de casa.

Durante a pandemia, os colaboradores foram contemplados com cestas básicas e agora vivem a expectativa da arrecadação dos "ingressos virtuais", criados pelo departamento de marketing do clube pegando o gancho da transmissão da TV Globo da reprise da final da Copa Libertadores de 1998, que acontecerá neste domingo (24), às 16h. Toda a renda será revertida para o pagamento de salários.

Castan demonstra insatisfação com atrasados e alfineta candidato

Capitão da equipe, Leandro Castan participou de uma live para o canal "Fui Clear" e demonstrou grande insatisfação com os salários atrasados. De quebra, ainda alfinetou um candidato à presidência, dando a entender que seria o advogado Leven Siano, que já vinha falando sobre a possibilidade de contratar uma grande estrela internacional caso vença a eleição, algo que foi "concretizado" com o anúncio de ontem (21) de Yayá Touré.

"Estamos com tantos meses e meses de salários atrasados... Então, talvez fosse a hora de nos unirmos mesmo, todo mundo se ajudar. Aí o que me incomoda, o que me deixa assim: 'Cara, não estou entendendo isso'. No ano da eleição chega um cara e começa a falar que vai trazer três jogadores da Europa para o Vasco. Aí eu penso: 'Será que eu estou nesse time aí que ele está falando?'. Eu não entendo, cara. Não consigo entender. É loucura!", disse, para depois complementar:

"Eu nem estou falando nada do Campello. Eu e ele já tivemos uma relação muito boa, hoje em dia nosso relacionamento é tranquilo, mas não é como antes também. Tivemos muitos problemas no caminho, mas o que estou falando é que, às vezes, eu não gosto nem de ver [as notícias] porque senão você não consegue. Como que vou lá treinar, fazer isso e aquilo, com meses e meses de salários atrasados, e o cara estar falando que vai chegar e trazer esse e aquele outro?".

Após anunciar o acerto com Yayá Touré, Leven Siano mandou um recado para Leandro Castan em sua live.

"Capitão, não se preocupe. Se eu estiver lá, seu salário será pago em dia. Seu e de todo o nosso elenco. Vai dar Vasco!", declarou o candidato.

Fonte: UOL Esporte