Futebol

Jogo deste domingo (14) marca o reencontro entre Vasco e Abel Braga

1

Vasco da Gama e Abel Braga irão se reencontrar neste domingo (14), em jogo que vale muito para ambas as equipes no Campeonato Brasileiro. Ambos começaram a temporada de mãos dadas e podem terminá-la de maneira absolutamente opostas. E, certamente, um vai atrapalhar os planos do outro.

Para entendermos melhor, voltemos à dezembro de 2019. O Vasco via seu maior rival Flamengo ser campeão da Libertadores e do Campeonato Brasileiro em menos de 24h e a torcida resolveu se mexer. Iniciou-se um plano de associação em massa que fez o time carioca tomar conta dos noticiários ao pular de 30 mil sócios (aproximadamente) para mais de 180 mil torcedores pagando mensalidade, ficando atrás apenas de quatro times no mundo inteiro.

Na semana seguinte a este feito, Abel Braga foi anunciado como treinador para a temporada 2020. Após Vanderlei Luxemburgo terminar o ano em alta e não chegar a um acordo pela renovação, Luxa se despediu e foi treinar o Palmeiras, fazendo com que Alexandre Campello, então presidente do Vasco, buscasse algum nome de impacto no mercado. Com pouco dinheiro em caixa, a única solução que restou foi buscar Abelão, técnico respeitado por sua história no Vasco e no futebol brasileiro, mas que vinha com trabalhos abaixo do esperado recentemente. Ambos até brincaram em sua coletiva de apresentação sobre a dificuldade do clube carioca em pagar salários: “Não sei quando, mas vamos pagar”, brincou o então presidente.

Mas, para a surpresa de poucas pessoas, o trabalho não engrenou. Com poucos reforços e um time sem muita identidade, Abelão sofreu para passar de times mais humildes tanto na Copa do Brasil, quanto na Sul-Americana. Na copa nacional, passou na primeira fase pelo Altos-PI apenas pela regra da vantagem do empate para a equipe visitante. Na fase seguinte, sofreu demais para bater o fraco ABC-RN por 1 a 0 no Maracanã. Já na competição internacional, em dois jogos muito fracos de sua equipe, passou por 1 a 0 no placar agregado contra o Oriente Petrolero (BOL). Todos os gols dos jogos citados foram marcados por Cano, provando que o camisa 14 era um ponto fora da curva no pobre elenco Cruz-maltino.

Mas a situação no Campeonato Carioca era tão dramática que Abel Braga não resistiu à terceira derrota em três clássicos e à eliminação em ambos os turnos do contestado torneio estadual. Além disso, deixou o clube em desvantagem na Copa do Brasil após perder em São Januário para o Goiás no jogo de ida. Sua demissão se deu no dia 16 de março, logo no começo da pandemia do novo Coronavírus.

Após mais um fracasso em time grande (havia feito trabalhos contestados em Flamengo e Cruzeiro antes do Vasco), parecia que a carreira de Abelão não teria mais grandes momentos. Errou e errou feio quem pensou nisso. Porque uma reviravolta surpreendeu o mundo da bola ao ver o técnico Eduardo Coudet deixar o líder Internacional rumo à Europa. Em meio a especulações sobre quem o Colorado contrataria para seu lugar, surgiu Abel, contradizendo os especialistas que, apesar de terem ciência do respeito que o técnico de 68 anos possui no Beira-Rio, até por ter conquistado os dois títulos mais importantes da história do clube: Libertadores e Mundial, ambos em 2006, não imaginavam que a equipe gaúcha voltaria suas atenções a Abel.

Com um início de trabalho que não manteve o nível de atuação do time comandado pelo argentino, o prognóstico era de que o Inter sairia da briga pelo título brasileiro. Em meio a atuações ruins e queda de rendimento de jogadores importantes para o Colorado como Thiago Galhardo, vieram as eliminações na Copa do Brasil, para o modesto América-MG, e da Libertadores, para o Boca Juniors (ARG).

Porém, exatamente após a queda na competição continental, o Inter de Abelão viria a engatar uma sequência que o credenciaria ao posto de favorito na luta pelo Brasileirão: foram nove vitórias seguidas após o desastre de La Bombonera, um empate e somente uma derrota – na última rodada contra o Sport.

Fonte: Jogada 10
  • Quarta-feira, 03/03/2021 às 21h00
    Vasco Vasco 0
    Portuguesa Portuguesa 1
    Taça Guanabara São Januário
  • Sábado, 06/03/2021 às 21h00
    Vasco Vasco
    Volta Redonda Volta Redonda
    Taça Guanabara Raulino de Oliveira
  • Sábado, 13/03/2021 às 18h00
    Vasco Vasco
    Nova Iguaçu Nova Iguaçu
    Taça Guanabara A definir
  • Quinta-feira, 18/03/2021 às 21h30
    Vasco Vasco
    Caldense Caldense
    Copa do Brasil Ronaldão
  • 20/03 (Sáb) ou 21/03 (Dom)
    Vasco Vasco
    Botafogo Botafogo
    Taça Guanabara Maracanã
  • 24/03 (Qua) ou 25/03 (Qui)
    Vasco Vasco
    Macaé Macaé
    Taça Guanabara São Januário
  • 27/03 (sáb) ou 28/03 (dom)
    Vasco Vasco
    Madureira Madureira
    Taça Guanabara São Januário