Jorge Henrique fala sobre processos: "Fiz acordos e eles foram quebrados"

08/01/2020 às 10h02 - FUTEBOL

Por conta de uma ação movida pelo atacante Jorge Henrique, que hoje defende o Náutico, o Vasco está impedido de inscrever jogadores pelos próximos seis meses. Isto porque o Cruz-Maltino não cumpriu o acordo de pagar uma dívida de aproximadamente R$ 1 milhão com o jogador, o que acarretou na punição imposta pela Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD), órgão ligado à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Insatisfeito com a demora em resolver o caso, Jorge Henrique disse que a medida foi motivada pelo fato de o clube carioca ter descumprido acordos que fez com ele.

- Infelizmente chegou a essa situação, que eu não queria. Mas chegou. Até porque eu fiz acordos com o Vasco e eles foram quebrados. Acordos que eles fizeram a proposta para pagamento, eu aceitei e eles não cumpriram com o acordo.

Foi em 17 de dezembro que a CNDR publicou a decisão. Na época, o órgão concedeu prazo até o dia 20 de dezembro para a quitação da pendência. O Vasco havia programado o pagamento, porém, não o confirmou.

Apesar do processo, Jorge Henrique, que foi campeão carioca pelo Vasco em 2015 e 2016, se mostrou receptivo a uma nova proposta do clube carioca. Ciente da repercussão do caso, o atacante disse não querer prejudicar o clube e espera uma solução rápida para o problema.

- É uma situação triste, mas eu preciso receber. Eu trabalhei e preciso receber. Está nas mãos do meu advogado para receber e o Vasco poder inscrever jogadores. Eu não quero prejudicar o Vasco, só quero receber o que trabalhei.

A CBF informou que a Diretoria de Registro e Transferência ainda não foi comunicada de forma oficial da decisão da CNRD - o recesso de final de ano na entidade terminou no último domingo. Trata-se de um trâmite interno de envio de documentação. Quando isto ocorrer e se até lá o Vasco não tiver solucionado a pendência, terá bloqueado o acesso ao sistema de registro de atletas.

Fonte: ge