Jorginho retorna ao Vasco com ambição maior

08/06/2018 às 08h05 - FUTEBOL

- Podemos dar mais ao Vasco. Fomos campeões cariocas invictos (em 2016). Por pouco não conseguimos livrar da Série B. Agora é pensar em coisas maiores - afirmou na quinta-feira, em São Januário, ao lado do presidente Alexandre Campello e do coordenador Paulo César Gusmão.

Quando foi contratado em 2015, Jorginho tinha uma missão considerada "quase impossível", já que o Vasco era o lanterna com apenas 13 pontos em 19 jogos. Apesar disso, em sua apresentação, no dia do seu aniversário de 51 anos, o treinador afirmou que tinha confiança de que poderia evitar o rebaixamento.

- Não poderia ter presente melhor que esse. Me sinto honrado, um clube onde construí uma grande história. E encaro o desafio com muita fé, acreditando realmente que vamos sair dessa situação. Vejo grandes possibilidades pelo plantel que temos. Não era para estarmos nessa situação, mas acreditamos sinceramente que vamos sair dessa situação - disse o técnico na ocasião.

Apesar da grande recuperação no segundo turno, o rebaixamento acabou se concretizando.

Lembrança do passado vitorioso como jogador

Assim como em 2015, Jorginho fez questão de ressaltar sua identificação com o clube, onde foi jogador e conquistou dois títulos importantes, o do Campeonato Brasileiro de 2000 e a Mercosul, com a virada história em cima do Palmeiras, em São Paulo.

- Estou muito feliz. Voltar a uma casa. Como jogador participei de dois títulos como jogador, a João Havelange, e depois a maior virada que pude participar, a Mercosul - afirmou na época.

- O que eu vivi no Vasco da Gama talvez seja a maior virada esportiva que já vi no futebol. Muita gente não acredita, eu acredito e por isso estou aqui. Já passei essa situação para eles no primeiro momento, na primeira conversa. Esse tem que ser o espírito - disse o treinador.

Nesta quinta, perguntado sobre qual a diferença do Jorginho atual para o que deixou o Vasco no fim de 2016, o treinador acredita estar mais maduro e atualizado para este desafio.

- A cada momento, trabalhando ou parado, amadurecemos, buscamos novos treinamentos, conversamos com pessoas ligadas a isso. A troca de informações é constante, e isso enriquece. A gente acaba crescendo.

Fonte: GloboEsporte.com

Enquete

Quem você gostaria que fosse o novo técnico do Vasco?

Deixe seu comentario