Jornalista divulga ranking das dívidas em dezembro de 2018 e 2017

10/05/2019 às 08h10 - FUTEBOL

Sucesso em campo e contas no vermelho. Assim dá para resumir o ano de 2018 para o campeão brasileiro Palmeiras e o campeão da Copa do Brasil Cruzeiro. Os dois clubes foram aqueles cujas dívidas mais cresceram na temporada. O Atlético-MG, que se classificou para a Libertadores via Brasileirão, completa a relação dos que mais gastaram.

O Palmeiras viu seu endividamento crescer R$ 141,8 milhões em 12 meses. É importante destacar que esse número está ligado a uma pendência com a Crefisa - até 2017, o dinheiro emprestado pela patrocinadora para a compra de jogadores não era tratado como dívida. Mas se transformou no ano passado.

Não fosse pela questão com a patrocinadora e o Verdão teria reduzido um pouco suas pendências em 2018. É que a Crefisa tem R$ 142,7 milhões a receber, já com juros e correção monetária, do clube pela ajuda na contratação de nove atletas. São eles: Luan (R$ 10 milhões), Fabiano (R$ 6,7 milhões), Bruno Henrique (R$ 14 milhões), Guerra (R$ 10 milhões), Thiago Santos (R$ 1 milhão), Borja (R$ 33 milhões), Deyverson (R$ 18 milhões), Dudu (R$ 10 milhões) e Lucas Lima (R$ 17,5 milhões).

Ao menos, o Palmeiras registrou superávit de R$ 30,6 milhões no ano passado. A dívida total do atual campeão brasileiro é de R$ 437,3 milhões, contra R$ 295,5 milhões da temporada anterior.

Já a situação do Cruzeiro parece bem mais preocupante. Em 2018, apesar dos mais de R$ 50 milhões faturados com a conquista da Copa do Brasil, a Raposa engrossou em R$ 101,4 milhões sua dívida em apenas 12 meses. Assim, a dívida total cruzeirense é de R$ 427,8 milhões, contra R$ 326,4 milhões do ano anterior.

Não à toa, o presidente Wagner Pires de Sá conseguiu a aprovação no Conselho Deliberativo de um empréstimo de R$ 300 milhões. A ideia é usar o dinheiro para pagar uma série de débitos urgentes, como processos de outros clubes contra a Raposa na Fifa - existe o medo de que os mineiros sofram punições pesadas pela inadimplência.

O Atlético-MG não ficou muito atrás do rival. Foram R$ 75,5 milhões a mais de dívida de acordo com o balanço divulgado recentemente, e referente a 2018. O que mais chama atenção é que o presidente Sérgio Sette Câmara havia assumido em janeiro com a promessa de redução dos custos em nome de um clube mais saudável.

Hoje, o Galo deve R$ 583,5 milhões, só atrás do Botafogo levando em consideração todos os clubes brasileiros. O Fogão deve R$ 657 milhões, segundo dados preliminares de uma análise do Itaú BBA a qual o Blog teve acesso.

Mesmo com o título da Sul-Americana, o Athletico Paranaense é o terceiro que mais deve, atrás de Botafogo e Atlético-MG: R$ 444,1 milhões. Na sequência, aparecem Vasco (R$ 440,2 milhões), Palmeiras (R$ 437,3 milhões) e Cruzeiro (R$ 427,8 milhões).

Já o Flamengo surge como o sexto maior devedor: R$ 397,8 milhões, sendo R$ 18,5 milhões a mais do que no fim de 2017. O resultado só não foi pior porque o Flamengo faturou mais de R$ 80 milhões com a ida do meia Lucas Paquetá para o Milan. Ainda foram outros R$ 68 milhões da venda de Vinícius Júnior para o Real Madrid, em 2018.

Pagando as contas: O Grêmio foi o clube que mais reduziu suas dívidas durante a temporada passada. Sob o comando de Romildo Bolzan, o Tricolor bancou R$ 45 milhões de suas pendências, que caíram de R$ 273,5 milhões para R$ 2228,5 milhões.

O Vasco foi o segundo que mais pagou dívidas: R$ 39,2 milhões. Depois, surgem o São Paulo (R$ 11,7 milhões) e o Avaí (R$ 7,3 milhões). Detalhe importante: só sete dos 19 times foram capazes de reduzir o endividamento na temporada passada.

A soma das dívidas de 19 dos 20 clubes da Série A - o CSA não foi incluído no estudo - é de R$ 5,49 bilhões, contra R$ 5,16 bilhões do ano anterior.

RANKING DAS DÍVIDAS EM DEZEMBRO DE 2018 E 2017*:

1º Botafogo: R$ 657,0mi (R$ 653,4mi)

2º Atlético-MG: R$ 583,5mi (R$ 507,9mi)

3º Athletico-PR: R$ 444,1mi (R$ 431,5mi)

4º Vasco: R$ 440,2mi (R$ 479,4mi)

5º Palmeiras: R$ 437,3mi (R$ 295,5mi)

6º Cruzeiro: R$ 427,8mi (R$ 326,3mi)

7º Flamengo: R$ 397,8mi (R$ 379,3mi)

8º Fluminense: R$ 389,6mi (R$ 391,1mi)

9º Corinthians: R$ 352,3mi (R$ 352,5mi)

10º São Paulo: R$ 332,4mi (R$ 344,2mi)

11º Santos: R$ 294,7mi (R$ 280,9mi)

12º Internacional: R$ 280,2mi (R$ 264,4mi)

13º Grêmio: R$ 228,5mi (R$ 273,5mi)

14º Bahia: R$ 134,0mi (R$ 136,1mi)

15º Avaí: R$ 47,8mi (R$ 55,1mi)

16º Fortaleza: R$ 18,2mi (R$ 16,6mi)

17º Chapecoense: R$ 10,5mi (+R$ 23,9mi)

18º Ceará: R$ 10,4mi (R$ 9,2mi)

19º Goiás: R$ 5,9mi (+R$ 6,5mi)

VARIAÇÃO DA DÍVIDA EM DEZEMBRO DE 2018*:

1º Palmeiras: R$ 141,8 milhões

2º Cruzeiro: R$ 101,4 milhões

3º Atlético-MG: R$ 75,5 milhões

4º Chapecoense: R$ 34,5 milhões

5º Flamengo: R$ 18,5 milhões

6º Internacional: R$ 15,8 milhões

7º Santos: R$ 13,7 milhões

8º Athletico Paranaense: R$ 12,6 milhões

9º Goiás: R$ 12,4 milhões

10º Botafogo: R$ 3,6 milhões

11º Fortaleza: R$ 1,6 milhão

12º Ceará: R$ 1,1 milhão

13º Corinthians: + R$ 289 mil

14º Fluminense: + R$ 1,4 milhão

15º Bahia: + R$ 2 milhões

16º Avaí: + R$ 7,3 milhões

17º São Paulo: + R$ 11,7 milhões

18º Vasco: + R$ 39,2 milhões

19º Grêmio: + R$ 45 milhões

* dados do Itaú BBA

Fonte: Coluna Jorge Nicola - Yahoo