Jornalistas sobre política vascaína: 'Mais instável do futebol brasileiro'

04/06/2019 às 13h07 - FUTEBOL

O Redação SporTV debateu na manhã desta terça-feira a conturbada situação do Vasco, que convive com atraso de salários e turbulências políticas. Na noite de segunda, o presidente Alexandre Campello escapou de nova tentativa de abertura de sindicância para investigar suposto prejuízo aos cofres do clube. Ele havia sido denunciado por não honrar acordos judiciais com cerca de 200 funcionários demitidos, aumentando a dívida em R$ 4 milhões.

Participaram da mesa os jornalistas Marcos Uchôa, Aydano André Motta e Felipe Schmidt, que faz a cobertura de Vasco para o GloboEsporte.com, além do apresentador Marcelo Barreto. Para Uchôa, o Vasco hoje é a "coisa mais instável do futebol brasileiro".

- O Vasco é enorme e está na mão de 300 sujeitos que não conseguem atingir um consenso e destroem o clube há anos. O Vasco é a coisa mais instável que existe no futebol brasileiro agora.

Setorista do Vasco no GloboEsporte.com, Felipe Schmidt participou da bancada e lembrou que, além da complicada situação política, há a questão do atraso de salários.

- O Vasco está com dois meses de salário atrasado, três meses de direitos de imagem, tem uma proposta de empréstimo R$ 30 milhões a ser votada, e acabou sendo aprovada a liberação R$ 10 milhões no fim da reunião, que não era para isso, era para analisar a denúncia.

Para Schmidt, o fato de não ter sida aberta investigação no momento, nada impede que novas turbulências voltem a acontecer nos próximos meses.

- Há cerca de um mês, teve uma outra reunião do conselho na qual também tentaram colocar uma sindicância, mas o Campello conseguiu mobilizar os beneméritos e evitou. Agora tentaram de novo. Mês que vem pode ter outra...

O apresentador Marcelo Barreto ressaltou ainda que o técnico Vanderlei Luxemburgo vem cobrando o acerto dos atrasados:

- Não sei até quando ele resiste se a questão salarial não for resolvida.

Fonte: SPORTV