Juiz diz que há provas de irregularidades na urna 7

22/10/2018 às 22h36 - CLUBE

O juiz André Pinto, da 52ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, em decisão liminar desta terça-feira, anulou novamente a eleição presidencial do Vasco, realizada em 7 de novembro de 2017 entre os sócios e 19 de janeiro de 2018 entre os conselheiros do clube.

Essa é a segunda liminar da Justiça a favor da ação do advogado Alan Belaciano, que pede a anulação da eleição que colocou Alexandre Campello no poder alegando fraudes. Em 28 de setembro, a juíza Gloria Heloiza Lima da Silva já havia dado razão a Belaciano, mas depois a decisão caiu.

Na decisão desta terça-feira, André Pinto diz que há provas de irregularidades na urna 7 e na captação de sócios para as eleições

"A prova pericial produzida nos autos do processo nº 0292398-81.2017.8.19.0001 comprovou a irregularidade do pleito, relativo à "URNA 7", ao reconhecer que não existem quaisquer documentos hábeis relativo aos sócios votantes que possam concluir que foi respeitado o estatuto do réu (...). Constou na conclusão do Inquérito Policial n 911-00295/2017 que, sem margens de dúvidas, houve irregularidade na captação de sócios para o CRV, para eleição do dia 07/11/2017. Com isso, nota-se que a irregularidade não se restringiu à "Urna 7", mas se perpetuou de forma indefinida, maculando todo pleito eleitoral", diz parte da decisão.

Foto: Reprodução internet alexandre campello
alexandre campello

Fonte: GloboEsporte.com