Julgamento de torcedor envolvido em briga em Joinville é adiado

02/11/2018 às 09h22 - TORCIDA

O júri popular de Leone Mendes da Silva, acusado de envolvimento na briga generalizada na Arena Joinville, no Norte catarinense, em 2013, que ocorreria na manhã desta quinta-feira (1º), foi adiado. De acordo com a Justiça da cidade e com o advogado do réu, Pedro Wellington da Silva, o acusado não foi localizado pelo oficial de Justiça a tempo de ser intimado para o julgamento, que foi remarcado para 6 de dezembro.

A briga generalizada entre torcidas aconteceu em 8 de dezembro de 2013 em uma partida de futebol entre Atlético Paranaense e Vasco da Gama. Quatro pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave diagnosticada com fratura no crânio. Os torcedores machucados foram encaminhados a hospitais da região e liberados dias depois.

O júri popular desta quinta estava marcado para às 9h. O juiz abriu e fechou o julgamento logo em seguida com a ausência do réu, que mora no Rio de Janeiro. Agora vai ser feito um edital de convocação para que ele esteja ciente do júri. Leone tinha 22 anos na época da briga e atualmente tem 27.

Além de Leone, outros dois torcedores vascaínos foram denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina. Para o órgão, eles foram responsáveis pela tentativa de homicídio contra um torcedor atleticano e o trio teria incitado o confronto nas arquibancadas da Arena, provocando, agredindo e incentivando os adversários.

O processo foi dividido porque o MPSC apontou envolvimentos diferentes para cada acusado.

Atlético Paranaense e Vasco jogavam na Arena Joinville porque o estádio do Atlético estava em obras para a Copa do Mundo.

No dia da confusão, três torcedores do Vasco, inclusive Leone, foram presos em flagrante por tentativa de homicídio. A prisão deles foi convertida em preventiva no dia seguinte. Em março de 2014, Leone e outro torcedor foram soltos por decisão judicial.

Foto: Reprodução da internet Justiça
Justiça

Fonte: G1