Mauro Galvão lamenta "erro fatal" contra o Real Madrid

15/12/2017 às 08h20 - FUTEBOL

Neste sábado (16 de dezembro) o Grêmio será mais um brasileiro que tentará a sorte na decisão de um Mundial de Clubes e terá pela frente o Real Madrid de Cristiano Ronaldo e companhia. Além da chance de levantar pela segunda vez na história o título de Campeão do Mundo, o clube gaúcho ainda poderá “vingar” os espanhóis, que em 1998 venceram o Vasco, em Tóquio, por 2 a 1.

Naquela ocasião, o clube carioca vinha de um ciclo vitorioso. Em 1997, foi campeão brasileiro, no primeiro semestre de 1998 levantou sua primeira conquista da Libertadores e, no dia 1° de dezembro do mesmo ano, levantar o título do Mundial sobre o poderoso e tradicional Real Madrid.

Em entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br, Mauro Galvão, o capitão do Cruz-maltino naquela decisão, lembrou daquele 2 a 1 no Estádio Olímpico de Tóquio e lamentou por um único detalhe: o lance desconcertante do atacante Raúl, aos 38 minutos do 2° tempo, que terminou no gol fatal do Merenegue, que tirou o 1 a 1 no placar para sacramentar a vitória dos espanhóis, que foram bicampeões do mundo naquela ocasião.

O jogo começou com o Vasco pressionando, mas aos 25 minutos da primeira etapa, após verdadeira bomba de Roberto Carlos de fora da área, a bola desviou no volante vascaíno Nasa e acabou entrando contra a própria meta, defendida por Carlos Germano, que também fazia grande partida.

O empate do Cruz-maltino veio na segunda etapa, aos 11 minutos, após boa jogada de Juninho Pernambucano, que aproveitou rebote do goleiro alemão Illgner em chute do Luizão, para acertar um belo chute no ângulo. Foi então que o “erro fatal” ressaltado por Galvão teve vez. Raúl recebeu bom lançamento pela esquerda, a defesa vascaína não conseguiu pará-lo, e o camisa 7 balançou as redes pela última vez naquela partida.

“Acho que a gente seguiu mais ou menos o roteiro normal e jogamos uma partida boa, no momento que nós tomamos o gol a gente estava praticamente atacando mais, tendo mais chance de gols, só que é um jogo só, então é difícil de você controlar, você sabe que um erro pode ser fatal e foi o que aconteceu, nós tivemos uma jogada, que foi um lançamento feito para o Raúl, ele conseguiu fazer uma jogada boa e acabou fazendo o gol, não dando chances pra gente, nós também tomamos o gol aos 38 do 2° tempo e aí fica muito difícil de você virar, como seria difícil também se a gente tivesse feito gol, pro Real Madrid seria muito difícil”, afirmou o capitão do Cruz-Maltino.

Apesar da derrota, o ex-zagueiro afirmou que o sentimento na volta para casa foi de dever cumprido. “O único senão que a gente poderia destacar é o da gente não ter conseguido finalizar totalmente (o ciclo de títulos), fechando no caso com a conquista do Mundial, mas a gente sabe que o time foi bem e não ficamos devendo, no sentido de ir a campo e não jogar bem, ou ficar com medo, o time jogou, fez uma partida muito boa e por detalhes não vencemos o jogo. Eu acho que não dá para ficar lamentando, o feito que a gente conseguiu com o Vasco, de ter ganho a Libertadores no ano do centenário já é uma grande conquista, mas é claro que a gente quer sempre mais”, completou.

Fonte: Fox Sports

Enquete

Você é favorável ao retorno de Antônio Lopes no cargo de dirigente?

Deixe seu comentario