Maxi López corresponde em momentos de pressão no Vasco

11/03/2019 às 08h17 - FUTEBOL

Ele ainda não foi brilhante em 2019, mas a importância de Maxi López para o Vasco é inegável. O gol de pênalti no empate com o Flamengo por 1 a 1 salvou o Cruzmaltino de perder a invencibilidade na temporada e ainda deu ânimo ao atacante, que não balançava as redes há um mês e também foi decisivo no ano passado com assistências. O clássico provou a frieza do argentino com a bola na marca da cal.

Pelo Vasco, Maxi já fez nove gols, sendo que seis foram em cobranças de pênalti. A marca de 66% dos tentos assinalados no tiro livre é referendada ainda pelo fato de o atacante jamais ter perdido uma batida desde que vestiu a camisa cruzmaltina.

Ele balançou as redes assim contra América-MG, Paraná, Internacional, Fluminense, Juazeirense e Flamengo. Até o momento, bola na marca da cal é certeza de gol pelo Vasco, principalmente se Maxi López for o cobrador.

O atacante não concedeu entrevistas após o clássico e ainda se envolveu em uma confusão com dirigentes do Flamengo ao deixar o gramado provocando a torcida adversária. A atuação esteve longe de ser destacada, já que sofreu com a marcação da improvisada zaga rubro-negra.

A questão é que, independentemente disso, ele correspondeu quando o Vasco precisou. Aos 50min do segundo tempo e com toda a pressão por cobrar um pênalti que garantiu a invencibilidade da equipe em 2019.

"O Maxi está se empenhando para entrar em forma. Precisamos muito dele. É claro que não foi brilhante, mas participou bastante. Ele é muito importante, teve a frieza para cobrar o pênalti e colocou toda a qualidade ali", comentou o técnico Alberto Valentim.

Com o fim do jejum, o atacante segue as conversas para uma renovação de contrato com o Vasco. O vínculo atual termina em dezembro. A diretoria deseja resolver a questão o quanto antes para garantir a manutenção do artilheiro na Colina.

Fonte: UOL Esporte