Maxi López também pode ser punido por xingamentos ao árbitro

18/11/2018 às 13h45 - FUTEBOL

O árbitro Wilton Pereira Sampaio relatou em súmula algumas ocorrências que podem prejudicar o Vasco. A começar pela expulsão do técnico Alberto Valentim. No documento, Wilton afirmou que o treinador o xingou.

Informo que após o término do 1º tempo expulsei do banco de reservas o Sr. Alberto Valentim, técnico do Vasco, por ter sido informado pelo 4º árbitro, Sr. Edson Antonio, via rádio, que após a marcação de um tiro de canto a favor da equipe adversária (último lance do 1º tempo). O mesmo arremessou, em forma de protesto pelo não encerramento do 1º tempo, um copo com água no chão, gesticulando ostensivamente e proferindo as seguintes palavras: “ele está louco”, sendo que o técnico já havia sido advertido verbalmente pelo 4º árbitro e árbitro assistente 1, Sr. Fabrício Vilarinho da Silva, sobre sua conduta inadequada.

Depois de sua expulsão o técnico invadiu o campo de jogo e foi em direção a equipe de arbitragem. Dirigiu-se a mim da seguinte forma: “você está de sacanagem, está me perseguindo”, sendo este contido pelo policiamento e retirado por membros da comissão técnica e atletas de sua equipe.

Campello e Maxi López também são citados

Wilton Pereira Sampaio relatou também que o presidente Alexandre Campello foi reclamar com a arbitragem ao fim do primeiro tempo.

Informo que no intervalo da partida quando o sexteto de arbitragem se dirigia para seu vestiário, no túnel de acesso, estava aguardando a passagem o Sr. Alexandre Campello, presidente do Vasco. Ele dirigiu-se a mim da seguinte forma: “não dá nenhuma falta pra gente, expulsa o treinador, ainda dá cartão amarelo pro goleiro, caral*! vai ser caseiro do caral*”.

Depois do jogo, o árbitro relatou novo encontro com o presidente Alexandre Campello. Dessa vez acompanhado de Maxi López e outros dirigentes.

Depois do encerramento da partida, ao se deslocar para o túnel de acesso aos vestiários, a equipe de arbitragem teve que permanecer na entrada do túnel por aproximadamente 3 minutos enquanto o policiamento providenciava o isolamento e a segurança para se ter acesso ao seu vestiário, já que se encontravam aguardando a passagem da equipe de arbitragem o Sr. Alexandre Campello, presidente do Vasco, já citado anteriormente, juntamente com o atleta Maximiliano Gastón López (não relacionado para a partida) e outros dirigentes da equipe que não foi possível identificá-los. Me ofenderam com os seguintes dizeres: “ladrão safado, filho da p*, nos roubou novamente”.

Torcida do Vasco citada na súmula

O árbitro Wilton Pereira Sampaio também relatou na súmula a confusão nas arquibancadas, citanto apenas a torcida do Vasco.

Informo ainda que depois do término da partida no espaço destinado a torcida visitante (Vasco da Gama) observamos que alguns torcedores retiraram os assentos e os arremessaram em direção a torcida adversária e ao policiamento que se encontrava fazendo o isolamento entre ambas. O referido tumulto foi rapidamente contido pelo policiamento.

Punições à vista

Levando em consideração as ocorrências citadas na súmula, a Procuradoria pode oferecer denúncia ao STJD. Os envolvidos, Alberto Valentim, Alexandre Campello e até Maxi López, podem ser punidos. Alexandre Faria, pelas declarações contra a arbitragem, também pode ser denunciado. O treinador já está fora do jogo de quinta-feira, contra o São Paulo.

Foto: André Durão Maxi López se emociona ao falar dos filhos
Maxi López se emociona ao falar dos filhos

Fonte: Esporte24Horas

Mercado

Não Confirmado

Você aprova a saída de Marcelo Mattos?

Especulações Mercado