Mesmo alegando superávit, atrasos em salários ainda causam problemas

29/04/2019 às 20h12 - FUTEBOL

Obrigado a passar pelo crivo do Conselho Deliberativo do Vasco na noite de hoje após denúncias feitas pelo Conselho Fiscal, o presidente cruzmaltino, Alexandre Campello, divulgou uma carta aos conselheiros onde informa que o balanço financeiro de 2018 será publicado amanhã (na data limite) e que nele consta "o maior superávit do Brasil" e "um dos maiores da história do clube" na temporada em questão, superando os rivais Flamengo e Palmeiras.

De acordo com o documento, tal superávit é da ordem de mais de R$ 60 milhões e ainda há uma redução da dívida de mais de R$ 100 milhões, o que representa uma diminuição de cerca de 15% em relação a 2017.

O texto ainda destaca que o parecer de auditoria será emitido pela "BDO" e que, "seguramente, as demonstrações financeiras do Vasco serão consideradas umas das três mais transparentes do país".

A carta está sendo distribuída por uma funcionária do clube aos conselheiros que chegam para a reunião na sede náutica da Lagoa hoje à noite.

Atrasos em salários ainda causam problemas

O otimismo de Alexandre Campello contrasta com os problemas de salários que o clube tem enfrentado. Além dos atrasos em algumas ocasiões, dois jogadores entraram recentemente na Justiça do Trabalho contra o Vasco por conta da falta de pagamento de FGTS: o atacante Rildo e o meia Thiago Galhardo, este último que conseguiu uma liminar para se desligar do Cruzmaltino. Ele está se transferindo para o Ceará.

Funcionários que foram demitidos também alegam que não receberam o que lhes é de direito e há ainda os que apontam que acordos deixaram de ser pagos.

Fonte: UOL Esporte