Muito criticada em 2018, a defesa do Vasco virou pilar em 2019

05/02/2019 às 07h10 - FUTEBOL

Muito criticada em 2018, a defesa do Vasco virou pilar em 2019. O time, que sofreu 81 gols na temporada passada, terminou a fase de classificação da Taça Guanabara como a equipe que menos foi vazada: apenas duas vezes.

A boa fase é reflexo de uma mudança que já podia ser percebida na reta final do Campeonato Brasileiro. A dupla formada por Werley e Castan se firmou, e o time evoluiu neste aspecto. Em 2019, os números melhoraram. Não houve grandes mudanças táticas de um ano para outro.

- Nosso trabalho de pré-temporada foi intenso e temos buscado a melhor performance física, técnica e tática. Ainda é cedo, mas já estamos colhendo alguns frutos.Sofremos apenas dois gols até agora, e isso mostra que a força no setor defensivo é muito grande. Poder sustentar a defesa sem ser vazada em um clássico é algo que valorizamos muito, porque esse, geralmente, é um jogo de muitos gols - analisou o zagueiro Werley.

O defensor forma a zaga titular com Castan, mas o sucesso tem contribuição de outros jogadores. Com a estratégia de Valentim em rodar o elenco, o Vasco enfrentou Americano e Portuguesa com uma dupla formada por Luiz Gustavo e Ricardo. Em ambos os jogos, não foi vazado.

O elenco ainda conta com outros três zagueiros. O colombiano Oswaldo Henríquez ainda não jogou - ele se recupera de uma lesão na coxa e sequer foi relacionado para o clássico contra o Fluminense, mas é considerado importante no elenco. O jovem Kainandro entrou contra o Americano, e Miranda, destaque na Copinha, foi integrado ao grupo.

O próximo desafio da defesa do Vasco acontece nesta quarta-feira. A equipe enfrenta o Juazeirense, pela Copa do Brasil, na Bahia.

Fonte: GloboEsporte.com