MUV publica resposta ao Presidente do Conselho de Beneméritos

16/01/2008 às 17h54 - POLÍTICA

Em recente nota publicada no site do Vasco, o presidente do Conselho de Beneméritos do clube demonstrou o atual estado de esclerose da sua gestão à frente deste conselho. Inicialmente, decidimos não responder aos ataques contidos na tal nota. Mas, os inúmeros e-mails e ligações de vascaínos que nos pediam para refutar as afirmações estapafúrdias do presidente nos fizeram mudar de idéia.

Tentando atacar a Chapa Por Amor ao Vasco e ao MUV, que venceram a última eleição nas urnas limpas, o presidente do Conselho de Beneméritos confirmou sua subserviência e cumplicidade ao presidente interino do clube.

Apesar de ter a obrigação estatutária de defender o patrimônio do Vasco, o presidente deste conselho não se indignou com os responsáveis pela direção do clube, quando a oposição descobriu e apresentou a todos os vascaínos a documentação sobre as sete penhoras que incidem sobre o nosso estádio e, mais tarde, das penhoras sobre 30 imóveis da rua São Januário. Tampouco, manifestou-se após ter conhecimento das fraudes no balanço, que hoje já ultrapassam noventa milhões. Quando foi noticiado pela TV Globo a decisão da justiça federal de levar a leilão o nosso estádio, não emitiu nenhuma nota denunciando a irresponsabilidade da direção.

Após sete anos de gestão do seu tutor à frente do clube, a quem continua prestando continência, este presidente ainda não enxergou a falta dos milhões de dólares desviados dos cofres do Vasco para as Bahamas, conforme denunciado pelo relatório final da CPI do futebol do Senado Federal. Desta forma, entendemos que aquela nota oficial não representa qualquer vascaíno que defenda o nosso clube, mas parece o cumprimento de ordens superiores.

Ainda sobre a nota oficial, esclarecemos que os métodos de trabalho utilizados pela chapa e pelo MUV se baseiam nos valores explicitados em nosso Plano de Gestão, com abertura ao diálogo e a participação dos vascaínos, com respeito e confiança na justiça. São estes os métodos que o presidente do Conselho de Beneméritos condena.

Por último, reafirmamos que é de responsabilidade da atual diretoria e demais poderes do clube todos os atos que mancharam o nome do Vasco, na justiça e publicamente nestes últimos sete anos.

Fonte: Assessoria de Imprensa do MUV