Opinião: "Derrota não apaga o bom início do Vasco"

11/09/2020 às 08h13 - FUTEBOL

Ramon escolheu mal os jogadores, o Vasco fez uma partida ruim e perdeu por 2 a 1, para o Atlético-GO, em São Januário.

Apesar dos cinco meias, o time não teve o controle e foi dominado pelo adversário que, como ele, fez nove jogos em 27 dias.

Mas é preciso frieza nas avaliações...

Ramon está ainda na fase de construção de um grupo, com jogadores se adaptando ao clube, como Marcelo, Igor Catatau, Carlinhos e Parede.

Fora os jovens da base, casos de Miranda, Vinicius, Bruno Gomez e Caio Tenório - que se juntam a Ricardo, Andrey, Henrique e Talles.

É, portanto, um elenco repleto de "apostas" que irão encorpar o time durante a competição.

Daí a necessidade de uma estratégia que atinja as metas propostas pelo clube.

Como faz um início de Brasileiro acima do esperado, a disputa em paralelo da Copa do Brasil deve agora ser priorizada.

Porque são questões que se encaixam...

O avanço nas fases do torneio traz dinheiro para o caixa e o êxito técnico reforça também a auto-estima do time para a Sul-Americana.

Mais, até: o bom desempenho nas Copas transforma a personalidade do time para disputa da Série A.

Por isso é preciso respeitar os limites da fisiologia e saber administrar os riscos de um calendário insano.

O Vasco obteve 58,3% dos pontos disputados nos oito jogos do Brasileiro.

Se mantiver o aproveitamento médio de 1,75 pontos por partida, fechará o turno com 33 pontos.

Terá sido a terceira maior marca do clube na era dos pontos corridos com 20 participantes - perdendo para os 35 das edições de 2011 e 2012.

É preciso, portanto, não perder o foco, e torcer para que Ramon não insista em alinhar Felipe Bastos e Bruno César juntos.

Ainda assim, o saldo é positivo...

Fonte: Blog Futebol, Coisa & Tal - Extra Online