Opinião: 'Sem loucuras, Vasco poderá voltar a lugar destaque em alguns anos'

06/01/2020 às 08h15 - FUTEBOL

Os torcedores do Vasco fizeram um esforço sem precedente para ajudar o clube. O clube é o time com mais sócios torcedores do Brasil depois de uma campanha que começou em novembro e não para de bater marcas. No entanto, nem os quase 190 mil sócios resolvem a dívida de quase R$ 700 milhões entre questões tributárias, salariais e débitos com fornecedores. O que o Gigante da Colina precisará fazer em 2020 para resolver partes dos problemas?

O presidente do Vasco, Alexandre Campello, tem como uma das promessas de campanha começar a equacionar grande parte das dívidas do Vasco. E pretende começar a fazer isso a partir do segundo semestre de 2020. O Vasco aprovou o orçamento prevendo um superávit de R$ 154 milhões. As receitas de televisão e do sócio torcedor devem gerar mais de R$ 324 milhões no próximo ano.

No entanto, a venda de jogadores fica apenas em R$ 46 milhões. Porém, o Vasco espera valores maiores, por exemplo, para Thales Magno. E isso impacta negativamente no orçamento do clube na próxima temporada. O clube tem uma necessidade de vendas de atletas, e principalmente, os mais jovens são os que podem mais render aos cofres do clube. 

Em uma entrevista para o canal Futbolaço, no Youtube, o presidente vascaíno afirmou que a dívida do clube não se resolve do ‘dia para a noite’. "Temos um planejamento e ele está em prática. Mas você não consegue resolver um endividamento de 680 milhões da noite para o dia. Só ao longo do tempo é que nós vamos conseguir resolver o problema do Vasco, e ele está sendo resolvido. Se não existisse planejamento o Vasco já tinha fechado”, afirmou.

Em 2019, o Vasco tentou controlar as contas. Teve problemas como não pagamento de luz e água, além do salário de jogadores, funcionários e comissão técnica. Luxemburgo, que assumiu o Palmeiras para 2020, chegou a ficar sem receber por três meses, enquanto trabalhava na equipe. E apesar de tentar arrumar a casa financeiramente, para você ficar com as contas mais arrumadas, é necessário faturar dinheiro e esse é um problema da gestão Alexandre Campello. Os valores estão abaixo do esperado em todas as esferas comerciais do clube. 

O centro de treinamento do clube também está nas contas, mas entra como doação. O Vasco aponta R$ 18,9 milhões em doações, mas ainda precisa de R$ 3,1 milhões para fechar o valor necessário de R$ 22 milhões. O que ainda é analisado é um empréstimo de R$ 42 milhões para bancar as contas do clube em 2020 e que poderia ser usado para completar o valor necessário para fechar as contas do centro de treinamento.

Para 2020, o torcedor vascaíno precisa ter paciência. A gestão de Alexandre Campello está tentando estancar uma série de dívidas que o clube contraiu nesse século e não será um momento fácil. Patrocínios podem ajudar. A parte das questões políticas e éticas, a Havan patrocinar o Vasco é uma forma do clube ganhar dinheiro e conseguir buscar novos rumos. Sem loucuras, o Vasco poderá voltar ao seu lugar de destaque em alguns anos.

Fonte: Yahoo!