Os bastidores do "fico" de Lucas Santos

22/02/2019 às 08h11 - FUTEBOL

O principal motivo para que Lucas Santos não fosse ao CSKA foi a divergência na manutenção de direitos econômicos com o Vasco. O Cruz-Maltino queria mais de 15%, porcentagem que o time da Rússia queria deixar com o clube, apesar de gostar dos valores oferecidos. Além disso, porém, outros fatores, como a vontade do próprio atacante, a valorização no Brasil e o carinho por São Januário, pesaram.

O CSKA fez três propostas por Lucas Santos, mostrando muito interesse no futebol do jogador: uma antes da Copa São Paulo, de cerca de 3 milhões de euros, outra durante, por volta de 4 milhões de euros, e a última, de 5,5 milhões de euros (R$ 23,5 milhões). Um diretor viajou da Rússia ao Rio de Janeiro só para tentar convencer o garoto.

- O que mais me chamou a atenção foi que o diretor do CSKA foi no meu escritório e apresentou um plano de três meses para o Lucas se preparar para jogar a próxima Liga dos Campeões. Era um estudo detalhado com as três posições que o Lucas poderia jogar no meio-campo - disse o empresário Fabiano Farah, que cuida da carreira do atacante.

O empenho do CSKA e os valores oferecidos (cerca de R$ 200 mil de salário por mês) ajudaram a balançar Lucas Santos, mas nem o próprio jogador estava 100% convencido de que era uma boa trocar o Vasco pela Rússia. A questão financeira, é claro, pesava, mas o pouco tempo de futebol profissional em São Januário e o carinho por sua atual casa acabaram pesando mais.

Na última reunião sobre a possível ida para o CSKA, o Vasco também expôs para Lucas Santos e seu empresário o desejo de valorizar o garoto, visto internamente como uma joia das categorias de base.

Atualmente, Lucas Santos ainda tem um contrato firmado quando estava no sub-20. Depois da disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior e das propostas do CSKA, o atacante, automaticamente, se valorizou e tem a promessa do Cruz-Maltino de receber uma proposta melhor em breve. Isso também pesou.

O Vasco, em dificuldade financeira, não tratou Lucas Santos como inegociável. Ouviu tudo o que o CSKA tinha a oferecer, mas bateu o pé e não abriu mão da porcentagem que via como necessária para liberar o garoto e ter ainda mais lucro no futuro. Como não houve acordo e o prazo para inscrição na Rússia se encerra nesta sexta-feira, as negociações foram encerradas.

Fonte: GloboEsporte.com