Os pontos positivos e negativos de André Mazzuco

04/06/2019 às 12h06 - FUTEBOL

"Com certeza é o maior desafio da minha carreira". Foi assim que André Mazzuco, novo diretor de futebol do Vasco, classificou a oportunidade no Cruzmaltino durante a apresentação, ontem (3). E, realmente, em São Januário o dirigente terá muitos obstáculos pela frente para que possa terminar a temporada de forma positiva.

Primeiramente, Mazzuco chega sob a chancela do presidente Alexandre Campello, que vive momento delicado à frente do Vasco, tendo inclusive vivido a sombra de deixar o comando do clube. Tal fato faz com que o respaldo ao novo diretor de futebol possa ser frágil diante da cúpula.

Em meio a isso, Mazzuco terá a missão de blindar o elenco e fazer com que as coisas dentro de campo possam engrenar, uma vez que o time atravessa uma crise, ocupando a última colocação do Campeonato Brasileiro, com apenas três pontos. Pessoas com as quais o dirigente já trabalhou apontaram que ele "fala com a boleirada com tranquilidade", o que pode ser um fator positivo neste momento. Além disso, indicaram que poderia, sim, gerenciar o elenco.

Por outro lado, a falta de experiência em um grande clube pesa contra. Mazzuco está com a carreira de "executivo de futebol" ainda em construção, tendo ocupado o cargo a partir de dezembro de 2015 - de lá para cá, esteve no Red Bull Brasil, Paysandu e Paraná. Anteriormente, foi preparador-físico das categorias de base do Paraná, gerente de futebol de base do Coritiba e, depois, superintendente de futebol também do Coxa.

Neste período no Coritiba, esteve por muito tempo no departamento de inteligência, fazendo com que o mapeamento de mercado seja colocado como virtude, mas não eram ele quem estava à frente da pasta quando o assunto era contratações. A necessidade por reforços é admitida, mas a questão financeira do Vasco, que passa por dificuldades nos cofres, é algo a ser driblado nesta tentativa de deixar novos nomes à disposição do técnico Vanderlei Luxemburgo.

Mazzuco ajudou o Paysandu a implementar a marca própria de fornecedora de material esportivo em intercâmbio com o Coxa, um dos poucos clubes que adotavam tal medida.

Fonte: UOL Esporte