Otávio, que viralizou com a 'Camisa de Papel', tem dia de estrela em SJ

23/07/2018 às 13h26 - FUTEBOL

Um foto postada pelo irmão em uma rede social mudou a vida do torcedor vascaíno Otávio Coelho, de apenas dez anos. Em junho, sua imagem com uma camisa cruz-maltina improvisada com cartolina e cola viralizou na internet e o transformou em celebridade virtual. No último fim de semana, o Vasco, com apoio de seu fornecedor de material, bancou a ida do menino e seu pai, Naildo Coelho, ao Rio de Janeiro para conhecer São Januário.

Depois de acompanhar e vibrar com a vitória da equipe por 1 a 0 sobre o Grêmio, Otávio ouviu de muitos torcedores que ele havia se transformado em um talismã para o time. Queriam saber quantas partidas mais ele estaria presente. Com um olhar meio perdido e incrédulo, ele ficava em silêncio.

O menino realizou o desejo de entrar em campo ao lado do goleiro Martín Silva, seu ídolo, e até o técnico Jorginho quis conhecê-lo após o jogo. No encontro, o treinador foi muito carinhoso e disse que Otávio era motivo de inspiração e orgulho. Tímido, o garoto contou ao treinador que a ideia de fazer seu próprio uniforme surgiu após um sonho de que o Vasco enfrentava - e vencia - o Real Madrid. No dia seguinte, uma velha camisa preta, alguns recortes de cartolina e papel de caderno se transformaram em uma camisa do Vasco, com Cruz de Malta, nome, número e até patrocinador.

- É um sonho estar aqui. Nunca imaginei que um dia isso pudesse acontecer. Fiquei muito feliz. Vou levar para vida inteira - afirmou o pequeno vascaíno.

Não era um sonho. Reconhecido por muitos torcedores no estádio, Otávio tirou dezenas de fotografias. Todos queriam um registro com "o menino do Piauí que fez a camisa de papel". No intervalo, foi colocado nos ombros, e uma pequena multidão se formou em volta dele. O uniforme frágil virou um troféu cultuado por todos.

- Pensei um dia estar na arquibancada. Pisar no gramado, nunca imaginei. Só temos mesmo que agradecer ao Vasco. O Vasco para mim é tudo. Nem tenho palavras - disse o pai Naildo, que iniciou a paixão de Otávio pelo clube.

A primeira visão do mar; "camisa de papel" no museu

O fim de semana inesquecível de Otávio começou no sábado. Ele e seu pai saíram da pequena Paulistana, no interior do Piauí, de cerca de 20 mil habitantes, e foram até Petrolina, em Pernambuco, distante cerca de 170 km. Lá pegaram um avião até o Rio de Janeiro, com conexão em Salvador.

No domingo de manhã, Otávio e seu pai receberam no hotel onde ficaram hospedados a visita do ídolo Carlos Germano, que entregou uma camisa oficial do Vasco para ambos. Depois, pai e filho foram conhecer a famosa praia de Copacabana, e viram pela primeira vez o mar. Se espantaram com a quantidade de pessoas e preferiram ficar em terra firme, sem arriscar um mergulho.

- O normal é um pai levar o filho para viajar. Nesse caso, foi o contrário - disse Naildo, deslumbrado com tudo a sua volta.

Na caminhada pelo calçadão, tomaram água de côco e foram parados por um torcedor com uma camisa do Vasco, que disse a Otávio.

- Você é um orgulho. Manaus te reconhece - disse.

No caminho até São Januário, houve uma rápida parada para conhecer o Maracanã do lado de fora. Eles tiraram muitas fotos perto da estátua do Bellini e também com outros torcedores. Mas o jovem vascaíno estava ansioso mesmo era para chegar na Colina.

Em São Januário, Otávio almoçou no restaurante que fica na sede do clube e participou de um tour completo. Foi na loja, vestiário, sala de imprensa e entrou no ônibus que levou os jogadores ao estádio. No vestiário, o jovem torcedor deu atenção especial ao local onde Martín Silva guarda seu material de jogo.

O último lugar visitado antes de a bola rolar foi a sala do presidente Alexandre Campello, que lhe deu um uniforme com o autógrafo de todos os jogadores e também uma carteirinha de sócio-torcedor. Campello sugeriu que a camisa feita por Otávio com papel e cola fosse emoldurada e colocada no museu do clube. O menino aceitou a ideia.

- Eu nunca podia imaginar que um dia conheceria São Januário, o vestiário... Uma das coisas que mais gostei foi conhecer a sala do presidente - disse Otávio.

Depois de sair de São Januário, pai e filho foram para o aeroporto iniciar o longo trajeto de volta até Paulistana, no Piauí. Na bagagem, Otávio levará muitas histórias para contar e a certeza de que vale muito a pena sonhar. E de que agora ele é mais Vasco do que nunca.

Foto: Divulgação Camisa
Camisa

Fonte: GloboEsporte.com

Especulação

Especulado

Você aprova a contratação de Diego Souza?

Especulações Mercado