Pai e filho vascaínos se tornam meme ao entrar no Maracanã

17/02/2019 às 23h55 - TORCIDA

Faça um exercício de imaginação: você vai ao Maracanã para uma final de Taça Guanabara do seu time, recebe a notícia que os portões estão fechados, corre de confusão envolvendo a polícia e, sem mais nem menos, consegue ser a primeira pessoa a entrar no estádio, já aos 30 minutos do primeiro tempo.

Parece roteiro de filme, mas aconteceu com Claudio e André Gonçalves neste domingo, na decisão entre Vasco e Fluminense. E a reação de pai e filho virou meme, viralizou em minutos e ganhou o coração da torcida vascaína.

A reportagem do GloboEsporte.com entrou em contato com os dois. A pergunta para Cláudio, é claro, não poderia ser diferente: o que motivou a comemoração com a garrafa de água na cabeça?

- Não sei te dizer o que pensei na hora que entrei. Foi a emoção, cara, descer ali, entrar no estádio, todo mundo ouvindo meu grito, olhando para mim. Eu joguei uma água para o alto e abri a outra na minha cabeça (risos) É uma coisa inesperada, em algumas horas virei meme. Estou rindo muito, virei até figurinha (risos). E tem torcedor até de outros clubes querendo conhecer, mais de 900 pessoas pedindo para ser amigo no Facebook e Instagram, não consegui nem dar atenção. Um monte de gente querendo saber onde encontrar os “gordinhos do Vasco” (risos) – disse.


 

O militar, fanático pelo Vasco, por muito pouco não toma uma decisão que mudaria o curso da história. Após confusão do lado de fora do Maracanã, Claudio cogitou voltar para casa, mas o filho avisou que os portões seriam abertos.

- Nós saímos de Sepetiba por volta do meio-dia, fomos para a Ilha do Governador. Fiquei aguardando notícias se o portão iria abrir. Aí 15h a gente foi para o Maracanã, mas chegamos com portão fechado, pessoal falando que não ia abrir. Quando fomos para o setor Sul começou aquela correria, polícia com gás de pimenta. Corremos por uma rua, um rapaz abriu a porta, entramos com mais torcedores numa vila. Falei "Filho, vamos embora", mas ele disse que tinha lido que os portões iriam abrir. Fomos para o setor sul de novo, tinha um portão aberto, perguntei se podia entrar, demos ingressos e conseguimos.

Eufórico, André, de 14 anos, vai levar para sempre a imagem do Maracanã vazio. O garoto, que puxou do pai o amor pelo Vasco, brincou com a fama repentina, mesmo sem entender num primeiro momento.

- Quando eu vi a pista do Maracanã vazia, já comecei a correr. Vi a entrada, o Vasco jogando... É uma sensação que não sei te falar, não estava acreditando. Comecei a gritar, “Vasco, Vasco, vamos ser campeões”. Meu pai jogou água, você viu (risos). Juro para você, não demorou 20 minutos um monte de gente já pedindo foto, eu não entendendo nada. Nossa família é toda vascaína, e a gente virou meme rápido demais, meu pai até mais que eu, já virou figurinha (risos) – brincou o garoto.


Filho quer conhecer Pikachu e Maxi López

Embalado pelo título e ainda em êxtase, André aproveitou o momento para sonhar um pouco mais alto. Ele quer encontrar pessoalmente dois ídolos do atual elenco cruz-maltino.

- O meu próximo sonho é poder entrar em São Januário, conversar com os jogadores, agradecer a eles. Foram importantes demais para o título. Minha mente está a milhão, cara, muita gente mandando mensagem. Mas estou curtindo demais! Agora gostaria de conhecer o Maxi López e o Pikachu, sou fã deles. Quero poder agradecer.

Fonte: GloboEsporte.com