Paulão admite que agrediu Valdívia

17/04/2018 às 10h26 - FUTEBOL

O ano da queda para Série B, o Internacional repetiu problemas. Um deles foi uma agressão do zagueiro Paulão, hoje no Vasco, ao meia-atacante Valdívia, atualmente no São Paulo, após o empate em 2 a 2 com o Fluminense no Beira-Rio, em agosto de 2016. O fato foi confirmado pelo defensor em entrevista à Fox Sports.

"Foi depois de um jogo, o moleque hoje continua sendo muito meu amigo. Me arrependi muito de ter feito, mas foi coisa de momento. A gente estava num momento muito infeliz...", começou.

O Inter empatou em 2 a 2 com o Fluminense no Beira-Rio. Naquele jogo o ténico Paulo Roberto Falcão acabou expulso, em seguida foi demitido do comando, e o Colorado chegou ao 11º jogo sem vitória.

"Faltava cinco minutos para acabar o jogo. Uma entrada do Marcos Junio (falta), o time todo do Fluminense foi para barreira. Eu, Ernando e um outro jogador sozinho. Tinha quatro jogadores (do Fluminense) dentro da área. Mas tinha nós três sozinhos dentro da área. Ele tinha opção de bater, mas tinha dois zagueiros e mais um jogador dentro da área. A gente está acenando dentro da área e ele bate a falta direto. E nessa que ele bateu todo mundo reclamou, coisa de momento de jogo, ele balança os braços... daí, meu, pqp....", exclamou.

"Acabou o jogo empate e a gente caiu na tabela. Aí eu perdi a cabeça. Eu ainda saindo do campo alguns torcedores falando mal, que o time não tem sangue, que nós somos mercenários. Daí eu discuti com o torcedor e entrei no vestiário com a cabeça louca. Entrei no vestiário em direção a ele procurando, procurando... Eu estava totalmente fora de si. Cheguei e falei: poxa, por que não colocou a bola na área? Treinamos a semana toda que este tipo de lance no fim é para colocar na área. Se a gente ganha o jogo saía da zona. Ele respondeu: eu achei que poderia fazer o gol. Eu perdi a cabeça e dei um tapa nele", admitiu.

O momento do Inter era conhecidamente turbulento. E tanto que uma das primeiras ações em 2017 da direção que assumiu o comando foi 'reciclar' o elenco com a saída de praticamente todos que participaram da campanha de queda para Série B.

"Depois do tapa veio a discussão. Empurra empurra, bate aqui, ali. Separaram, me acalmei tomando banho. Eu tinha e tenho um carinho muito grande por ele. Daí me acalmei e estou saindo do vestiário olho, o pai dele, a família dele toda ali para esperar ele. Pensei: p... o que eu vou fazer? Daí cheguei no pai dele, falei que queria pedir desculpas. Queria pedir para ele (Valdívia) primeiro, mas vou pedir para o senhor... Aconteceu dentro do campo, discutimos... Eu fiz um papel de moleque, mas estou pedindo desculpas. Ele aceitou na boa. Eu queria chegar no Valdívia, ele não queria, porque ele estava com a razão, e eu sabia que ele estava com a razão. Depois graças a Deus consegui pedir desculpas e peço novamente desculpas, estamos sempre brincando, somos amigos e eu faltei com a razão", completou.

Os destinos deles não se cruzam mais no Inter. Paulão está cedido ao Vasco até o fim de seu contrato em Porto Alegre. Valdívia está emprestado ao São Paulo e o Inter pretende a venda dele depois disso. 

Fonte: UOL Esporte

Enquete

Qual a culpa dos problemas políticos do Vasco na campanha do clube no Brasileiro?

Deixe seu comentario