Paulão fala sobre derrota na Libertadores, clássico e críticas

17/03/2018 às 12h16 - FUTEBOL

Paulão: "Temos que passar por cima desse obstáculo (derrota e virose). Infelizmente foi na semana de um jogo importante, mas demos nosso máximo. Claro que nos impactou, mas não foi determinante. Depois de tudo, conseguimos trabalhar e concentrar no Botafogo." 

Paulão: "A situação de todos os jogos serem no mesmo horário passa despercebido. Estamos pensando em nós, em um clássico importante contra o Botafogo. Não temos que nos preocupar com outros resultados. Precisamos dar nosso melhor e buscar a classificação." 

Paulão: "O que aconteceu no meio da semana (derrota para La U) não vai nos deixa para baixo, apesar de ter sido uma partida muito importante. Acredito que estamos fazendo um trabalho bom. Dentro disso tudo fica mais o nosso empenho." 

Paulão: "Temos que nos preocupar com o Botafogo, e o Botafogo também precisa se preocupar com o Vasco. Tivemos chances contra a La U, criamos. Temos qualidade do nosso lado." 

Paulão sobre o lance do gol da La U: "Não vejo falta de concentração. Ele foi astuto. Seria desconcentração se fosse no início. Foi uma infelicidade de todo um sistema. Temos que dar o crédito. Não estou me defendendo. Nos pegaram de surpresa, não esperávamos a jogada." 

Paulão: "No momento falei pro Pikachu da troca de posição em velocidade. Eu já tinha amarelo, e ele estava colocado. Não teria feito o pênalti, a possibilidade de gol era maior. Ele errou o chute. Se tivesse acertado, de repente o Martín defendia. Mas falar agora é fácil."

Paulão: "Na minha vida nada foi fácil. Me profissionalizei, tenho minha família... minha mãe me dá todo apoio. Por que tenho sempre que estar mostrando? Por que sempre um pré-conceito? Sou totalmente diferente do que acham que eu sou. A situação do negro é difícil." 

Paulão: "O Neymar tem mais da raça negra, e também não tem o apoio de todos. Se me vissem só pelo meu trabalho, acho que não seria odiado."

Paulão: "Se eu fosse ruim como alguns pensam, eu não estaria aqui, não teria jogado onde joguei e não teria conquistado os títulos que conquistei. Procuro sempre pensar na razão, em tentar melhorar. Incomoda não ter credibilidade. Não tem um ser humano que acerte todas." 

Fonte: Twitter do jornalista Fred Huber/GloboEsporte.com

Enquete

Você é favorável ao retorno de Antônio Lopes no cargo de dirigente?

Deixe seu comentario