Permanência de Leandro Castán dependerá se o clube continuar na Série A

14/10/2018 às 08h16 - CLUBE

Quem não acreditar que o Vasco é capaz de vencer o Cruzeiro neste domingo, às 16h, em São Januário, e finalmente arrancar para se afastar da zona de rebaixamento do Brasileiro, precisa olhar para Leandro Castán e entender que pessimismo não é uma opção. O zagueiro, que retorna à equipe titular hoje, traz na recuperação de um tumor no cérebro o maior exemplo de que é preciso manter a fé. Por pior que seja o cenário diante dos olhos.

O retrospecto recente contra o adversário no Rio é ruim - em três partidas, foram dez gols da Raposa e apenas um dos cariocas - e a escalação do rival com reservas não representa facilidades - Mano Menezes colocará em campo nomes como Manoel, Bruno Silva, Mancuello, Rafael Sobis e Fred. Ainda assim, Castán pede cabeça erguida na Colina esta tarde.

- Conheço muitos jogadores, joguei com o Fred na seleção. Temos de respeitá-los, mas precisamos acreditar na gente também. Temos qualidade, poderíamos estar melhor na tabela - acredita o jogador de 31 anos, depois de cumprir suspensão no clássico contra o Botafogo.

Ser rebaixado justamente no ano de retorno ao futebol brasileiro, depois de superar uma doença tão grave, seria um anticlímax para quem desembarcou em São Januário sonhando em recuperar o protagonismo de outros tempos. Com ele em campo, o Vasco evoluiu, freou a sequência de derrotas, teve quatro empates e uma vitória nas últimas cinco partidas. Só não pode deixar a peteca cair.

Reajuste salarial engatilhado

Uma das principais contratações da gestão Alexandre Campello, o zagueiro Leandro Castán possui contrato com o clube até dezembro do ano que vem. Sua permanência em São Januário até lá dependerá também de o clube conseguir se manter na elite.

Isso porque, no compromisso assinado com o Vasco, consta que o jogador receberá um reajuste salarial na virada do ano. Em caso de um quarto rebaixamento para a Série B, o clube fatalmente terá uma redução nas receitas e poderá ter problemas para seguir com o zagueiro.

Por falar em receitas, o clube corre para obter o empréstimo de R$ 31 milhões que, segundo a diretoria, viabilizará o pagamento da folha até dezembro. Com a queda da liminar que anulava a eleição passada, o clube retomou a questão.

Fonte: Extra Online