Polícia apreende materiais da Força Jovem e Ira Jovem

24/11/2007 às 13h13 - TORCIDA

Policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) cumpriram ontem três mandados de busca e apreensão em salas de torcidas organizadas do Vasco da Gama - a Ira Vascaína e a Força Jovem - e da Torcida Jovem do Flamengo. As três se envolveram em um confronto no qual um flamenguista foi espancado, no último dia 16. Germano Soares da Silva, de 44 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu anteontem.

Durante a operação, a polícia apreendeu cerca de 400 carteiras com fotos de torcedores e um CD com imagens de brigas que envolveram integrantes das três torcidas.

Para tentar identificar torcedores brigões, as fotografias apreendidas na operação serão comparadas com imagens do conflito do último dia 16. Na ocasião, mais de 50 pessoas brigaram na Praça Quinze, antes de um jogo de basquete entre Flamengo e Vasco.

Quem for identificado responderá por crimes de homicídio, lesão corporal e formação de quadrilha.

Nas salas das três torcidas, a polícia também apreendeu recortes de jornais com fotos e reportagens sobre confrontos de torcedores dos dois clubes. Um CD com gritos de guerra da Torcida Jovem do Flamengo também foi recolhido.

Além disso, dois álbuns de fotografias foram recolhidos em uma das salas de torcidas organizadas do Vasco. Neles, a polícia encontrou fotos de vascaínos exibindo bandeiras roubadas de torcidas organizadas rivais.

Cerca de 15 chefes das três torcidas foram identificados. Já se sabe que alguns deles promoviam festas rave no estado.

As buscas na sala da Força Jovem Vascaína, que fica em São Januário, aconteceram durante o treino do time. Durante 30 minutos, o presidente do clube, Eurico Miranda, discutiu com os agentes da DPCA.

Depois, na presença de um advogado do clube, Eurico determinou que os cadeados da sala fossem cortados. No local, foram apreendidos centenas de fichas de torcedores.

Na sala da Ira Vascaína, em Irajá, a polícia apreendeu fotos de um treinamento no qual torcedores simulavam o espancamento de um flamenguista. Na simulação, o torcedor rubro-negro levava chutes na cabeça. Também houve apreensões na sala da Jovem Fla na Rua Álvaro Alvim, no Centro.

Fonte: Extra