Por necessidade financeira, Vasco dilui 'geração 98' e vê joias na seleção

17/05/2019 às 08h13 - FUTEBOL

Uma das gerações mais vitoriosas das divisões de base do Vasco e que, curiosamente, nasceu no ano da maior conquista da história do clube: a Copa Libertadores. A famosa "geração 98", que por muito tempo criou expectativa em São Januário e foi apontada como a melhor surgida recentemente, acabou tendo suas principais peças passando num estalo no profissional por conta da necessidade financeira do clube, fato que fez com que as convocações dos meias Mateus Vital e Douglas Luiz para a seleção brasileira pré-olímpica, na última quarta-feira (15), acabassem sendo uma pontada de frustração para o torcedor cruzmaltino.

Efetivados em meados de 2016, a dupla foi vendida já no ano seguinte. Douglas foi o primeiro, negociado em julho ao Manchester City (ING) por cerca de R$ 44 milhões. No clube inglês ainda não jogou por conta das regras para estrangeiros da Premier League e está emprestado pela segunda temporada ao Girona (ESP).

A venda de Mateus Vital, além de lamento, gerou revolta pelo baixo valor do negócio: apenas R$ 5 milhões para o rival Corinthians, numa transação quando Eurico Miranda deixava a presidência e para quitar dívidas com o empresário Carlos Leite.

Vital e Douglas foram convocados para a seleção brasileira sub-23 que disputará o tradicional torneio de Toulon. O Vasco tem como representante o goleiro Lucão, que ainda está no sub-20.

O Cruzmaltino ainda detém 15% de direitos econômicos sobre Mateus Vital.

Evander é outro da geração que já saiu do clube

Quem também fez parte da geração 98 e ganhou tudo na base foi o meia Evander. Sua saída, porém, foi diferente, e ficou muito atrelada à impaciência da torcida com seu futebol, mesmo tendo sido considerado uma das principais promessas das divisões de base do clube.

O jovem - que é filho do empresário Evandro Ferreira (que agencia Vagner Love) - foi vendido por cerca de R$ 8 milhões para o FC Midtjylland, da Dinamarca.

Seu laço com o Vasco, atualmente, se resume aos 14% de direitos econômicos a que o clube ainda tem direito e o CT do Almirante, que é propriedade de seu pai e que está alugado ao Cruzmaltino até o fim de 2020.

Andrey puxa fila de remanescentes que buscam espaço

Dos remanescentes da geração 98, o que mais gera confiança e expectativa é o volante Andrey. Porém, depois uma temporada de destaque ano passado, onde chegou-se a especular sua saída para o exterior, o jogador perdeu espaço com o técnico Alberto Valentim mesmo a contragosto de boa parte da torcida.

Novo treinador da equipe, Vanderlei Luxemburgo, no entanto, parece vê-lo com bons olhos. Em seu primeiro treinamento, o comandante teve apenas uma conversa em particular com um atleta: justamente com Andrey, que vive a expectativa de voltar ao time titular neste domingo, contra o Avaí, pelo Campeonato Brasileiro.

Além do volante, o Vasco ainda conta como remanescentes da geração 98 no elenco profissional o goleiro João Pedro, o lateral direito Rafael França, o meia Dudu e o atacante Moresche, todos com poucas oportunidades.

Os títulos da Geração 98 do Vasco da Gama nos gramados:

- Taça Rio Bonito sub-11 de 2009
- Copa Light sub-11 de 2009
- Mundialito de Clubes sub-13 de 2011
- Torneio Guilherme Embry sub-14 de 2012,
- Taça Guanabara sub-15 de 2013
- Copa da Amizade Brasil-Japão sub-15 de 2013
- Campeonato Carioca sub-15 de 2013
- Taça Guanabara sub-17 de 2015
- Campeonato Carioca sub-17 de 2015
- Taça Guanabara sub-20 de 2017
- Taça Rio de 2017
- Campeonato Carioca 2017

Fonte: UOL Esporte