Portuguesa pede bloqueio de 30% do valor da negociação de Nathan

10/09/2020 às 08h05 - CLUBE

O Vasco pode sofrer um bloqueio milionário sobre o valor da negociação de Nathan com o Boavista, de Portugal. O Esporte News Mundo teve acesso a detalhes do caso. Na última quarta-feira, a Portuguesa acionou o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) com pedido liminar para bloquear 30% do montante que o Cruz-Maltino receber da negociação, percentual que acredita ter direito.

A juíza Débora Maria Barbosa Sarmento, da 7ª Vara Cível da Capital do TJRJ, deve decidir ainda nesta semana sobre o bloqueio de valores solicitado pela Portuguesa. A negociação vai render ao cofre do Vasco o valor R$ 8,1 milhões, o que faria, caso a liminar seja deferida pela magistrada, que R$ R$ 2,4 milhões fiquem bloqueados até a decisão do mérito do caso, com o restante – R$ 5,7 milhões – indo para os cofres em São Januário.

Argumentou a Portuguesa em seu pedido: “Considerando a patente a ausência de liquidez do Club de Regatas Vasco da Gama para arcar com o pagamento dos valores em discussão na presente causa, pugna pelo deferimento da tutela de urgência para que seja garantido o bloqueio do percentual de 30% (trinta por cento) sobre o valor líquido da negociação que vier a receber dos direitos desportivos do atleta NATHAN, sendo certo que o deferimento da medida, não trará qualquer prejuízo as partes em negociação (Vasco da Gama / Boavista / Nathan), apenas preservará os valores decorrentes do contrato em discussão na presente lide e ainda ficará condicionado ao julgamento do mérito da demanda”.

Vale lembrar que Nathan foi relacionado pelo técnico Abel Braga nos clássicos contra o Flamengo e Botafogo, no Carioca deste ano, mas não chegou a estrear no time profissional. O lateral-direito constantemente treinava com o elenco principal, já sob o comando de Ramon Menezes, mas retornou ao sub-20, que na quarta-feira estreou na Taça Guanabara da categoria.

No início de 2019, Nathan quase foi vendido para o Valencia, da Espanha. O Vasco chegou a aceitar a proposta de 1 milhão de euros (R$ 4,2 milhões na cotação da época) por 50% dos direitos econômicos do jogador, porém o acordo não foi fechado porque o clube espanhol queria um valor fixo para adquirir o restante.

Desta vez, a venda foi fechada principalmente pela proximidade do fim do contrato de Nathan com o Vasco. A partir do dia 15 de janeiro de 2021, o lateral-direito de 19 anos já poderia assinar um pré-contrato, já que o vínculo terminaria no dia 14 de junho do mesmo ano. Uma renovação estava em pauta por parte do clube, mas sem muita empolgação por parte do staff do jogador.

Fonte: Esporte News Mundo