Presidente da FERJ fala sobre campeonato carioca 2019

17/12/2018 às 07h19 - FUTEBOL

A bola está prestes a rolar e dar início ao Campeonato Carioca 2019. A primeira fase (seletiva), que conta com America, Americano, Goytacaz, Nova Iguaçu, Macaé e Resende, começa no dia 22 de dezembro. Duas destas equipes se classificam para a etapa principal, que se inicia em 12 ou 20 de janeiro (a definir). Em entrevista exclusiva ao Esporte 24 Horas, o presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), Rubens Lopes, falou qual a sua expectativa para o torneio.

“Foi planejada uma competição sem intercorrências, segura, sem violência, atrativa e com rentabilidade. A audiência do Campeonato Estadual é muito grande, satisfatória, mas o público dentro do estádio é insatisfatório. Então, nós precisamos que isso seja revertido. Esse é o nosso grande desafio, já não é de hoje, é de algum tempo. Não temos conseguido, mas não é por isso que vamos esmorecer. Conversamos com os clubes e efetivamente eles entenderam isso, e precisam colocar os seus principais atores no palco. Se os principais atores não estiverem no palco, a coisa vai ficar um pouco difícil. Mas eu acho que eles entenderam. A remuneração de cada clube por partida, quando entra em campo, é muito boa. E estamos trabalhando, acho que a expectativa é boa, vamos conseguir.”

Árbitro de vídeo

Sempre pioneira, a Ferj tem como principal novidade para o Cariocão 2019 o uso do sistema de árbitro de vídeo. Rubens Lopes explicou o uso da ferramenta e acredita que a mesma veio para ficar.

“Nós não podemos ficar míopes à tecnologia. A tecnologia está aí, ajuda o progresso. O árbitro de vídeo nada mais é do que uma parte, um elemento, uma ferramenta que permite a identificação de situações ou confusas, ou aquelas que escaparam à vista de um árbitro de campo, dentro de um protocolo pré-estabelecido. Então, isso veio para somar. Eu acho que não sai mais. Pelo contrário, vai evoluir.”

O Presidente da Ferj também revelou o custo da ferramenta e confirmou em quantos e quais jogos a mesma será utilizada.

“Isso está na faixa de R$ 25 a 28 mil reais por partida. É um custo extremamente inferior àquele que inicialmente foi debatido na própria confederação a respeito de quanto seria o custo do VAR nas partidas do Campeonato Brasileiro, quando isso foi debatido no ano passado. Mas uma coisa eu te garanto, vai acontecer o VAR. Inicialmente nas 10 partidas conforme foi contratado, e esperamos que, adiante, isso possa se estender para todos os jogos. Semifinais e finais de Taça Guanabara, Taça Rio e a final do Campeonato, propriamente dito.”

Flamengo

Na gestão de Eduardo Bandeira de Mello, Flamengo e Ferj tiveram desentendimentos. Preços de ingressos, cota de televisão, Maracanã e mando de campo foram alguns dos motivos. No entanto, Rubens Lopes afirmou que isto ficou no passado e projetou um bom relacionamento com a nova diretoria rubro-negra.

“Pode até ser que em um determinado momento tenha acontecido essa posição. Mas eu acho que a partir de um outro momento, isso voltou à normalidade. O Flamengo esteve aqui com o seu representante. Se o seu presidente aqui não compareceu, pelo menos mandou um representante nas reuniões, participava dos debates, das votações das assembleias do conselho arbitral, de forma que isso aí já foi melhorando de forma significativa, voltando à normalidade ao longo do tempo. E com o novo presidente, a certeza é de que essa relação será a melhor possível.”

Maracanã

Como a Copa América de 2019 será realizada no Brasil, havia uma dúvida se o estádio estaria à disposição durante todo o Campeonato Carioca, já que vai passar por obras para atender exigências da Conmebol. A final da competição de seleções será no maior palco do futebol brasileiro. No entanto, Rubens Lopes afirmou que não haverá conflitos de datas.

“O que está dito, afirmado e mostrado, é que o Maracanã está à disposição do Campeonato Carioca”, concluiu.

Fonte: Esporte24Horas